Pesquise no A Voz

Carregando...



Nascente do Rio São Francisco secou, diz diretor de parque

23/09/2014

A principal nascente de toda extensão do Rio São Francisco secou, afirmou nesta terça-feira (23) o diretor do Parque Nacional da Serra da Canastra, Luiz Arthur Castanheira. Segundo ele, o motivo foi a estiagem. "Essa nascente é a original, a primeira do rio e é daqui que corre para toda a extensão. Ela é um símbolo do rio. Imagina isso secar? A situação chegou a esse ponto não foi da noite para o dia. Foi de forma gradativa, mas desse nível nunca vi em toda a história”, afirmou. O rio, que tem 2,7 mil km de extensão, nasce em Minas Gerais e escoa no sentido sul-norte pela Bahia e Pernambuco, desaguando na divisa entre Alagoas e Sergipe. De acordo com o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, explicou que a nascente que secou não é determinante para o volume de água na bacia, mas serve como “termômetro”, uma vez que o nível dos reservatórios da região é fundamental para o rio. A estiagem deste ano ocorre em todo o país a vários meses e, segundo os meteorologistas, não deve acabar tão cedo. Dados da empresa Climatempo apontam que a tendência é que na primavera a temperatura a temperatura fique de 2ºC a 3ºC acima da média nas regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. No Sul, a temperatura pode ficar até 3ºC acima da média. Segundo a previsão, o período de chuvas deve começar apenas em outubro deste ano. Informações do G1.

Bahia Notícias
Leia Mais

AUSENTE TEMPORARIAMENTE

15/09/2014



A partir de hoje 15 de setembro, e durante 17 dias, aproximadamente, estarei viajando. Talvez as matérias sob a minha responsabilidade não sejam postadas nesse intervalo de tempo,  a não ser que pelas terras por onde andarei, tenha eu disponível algum microcomputador.

Acredito que, não havendo empecilhos, a  direção do A Voz deverá dar seguimento ao nosso  blog.

Até logo.



Nilson Machado de Azevedo
Leia Mais

A FESTA DA PRIMAVERA

14/09/2014




Não escrevi estas mal digitadas linhas no mês de agosto, porque o meu lado supersticioso sempre aflora,  a exigir severo  recolhimento.  

Minha sorte está lançada.

Os fantasmas de agosto surgiam em nuvem de poeira formada pela ventania que a todos atingia e cercava na subida da Avenida J.J. Seabra quando a gravidade impunha e estatelava no chão, ainda sem paralelepípedos, muito pau d’água, cachaceiros contumazes de todos os gêneros, raquíticos de todas estirpes, além dos estudantes do Cézar Zama e do Senhor do Bonfim, desafiantes dos redemoinhos que zuniam  na famosa e resplandecente avenida xiquexiquense do final dos anos sessenta.

Com arraigada mania de pescar, sobrevivi, num mês de agosto, a um naufrágio de paquete nas imediações da Ilha do Paulista, quando o vento, que soprava  desde as dunas do Icatú, enfurecido por Eólo, partiu o mastro da pequena e rústica embarcação arrastando-a  para o  fundo do rio.

Nas ditas circunstâncias, a esperança sempre se  descortina com o alvorecer do mês de setembro, a rememorar as festas da primavera em Xiquexique.

Foi numa festa da primavera que os professores do Colégio Municipal Senhor do Bonfim destacaram  alguns alunos para homenagear  a estação primaveril, tendo como sugestivo  tema as plantas, flores e frutos.

Foi armado um palanque na Praça Dom Máximo.

Cada aluno, escalado, haveria de representar,obviamente,as plantas, flores e frutos, conforme o roteiro  que lhes fora destinado a protagonizar:

“Eu sou a Rosa, a rainha das flores, que perfuma todos os jardins da cidade” declamava um linda cabrochinha da 7ª série.

“Eu sou o Milho e tenho mil e uma utilidades”,  discursava um colega, o primeiro da classe.

“Represento o Feijão, a riqueza da nossa região” rimava outro colega.

Todos, compenetrados, incorporavam os produtos nobres, desempenhando o papel individualizado da nossa flora.

Sobrou pra mim, no entanto, o script de um personagem que ninguém queria explanar, conquanto, soube depois, foi usado até  nepotismo para que os alunos privilegiados deixassem de interpretar a planta que me coubera por exclusão. Aquilo valia nota. Criei ânimo e com coragem subi na ribalta.  Fantasiado da planta que eu incorporava na condição de  artista coadjuvante,  segurei firme o microfone balanceado pelo radialista e sonoplasta Mário Velho, tomei a palavra e bradei com altivez:

-Eu sou o FUMO! Ataco os ricos, ataco os pobres, desde os baixos operários aos altos milionários. Ataco o pulmão, o cérebro e o cerebelo, ataco as fossas nasais que é o nariz, que quando o fumante vai dizer bolacha, só pronuncia “munacha".

Nesse ínterim, uns  gaiatos que assistiam a cerimônia, cairam na risada e nos apupos. No microfone, já cortado o som, mandei todo mundo para o devido lugar, resultando-me uma repreensão do diretor do colégio e vermelho no meu boletim no item comportamento.

Desse dia em diante, desisti de ser ator.

Nilson Machado de Azevedo






Leia Mais

Paulo Souto e Ruy Costa em Xique-Xique, quem ganha e quem perde?

13/09/2014

O final de semana foi movimentado em Xique-Xique, onde dois candidatos ao governo do Estado, Paulo Souto e Ruy Costa marcaram presença. As disputas, no entanto, vão além da campanha estadual e federal, movimentando as peças do xadrez político de olho no futuro. Mas quem ganhou e quem perdeu?

Tentando mostrar força o ex-prefeito Reinaldo Braga Filho tentou liderar a vinda do candidato ao governo do Estado Paulo Souto a Xique-Xique, mas a primeira visita pessoal de Souto no município foi ao maior adversário do grupo Braga, o Vice-prefeito Dr. Lula, que ao lado de vereadores e lideranças políticas, recebeu o candidato Souto, confirmando seu apoio.

Dr. Lula, também cobrou, que se eleito fosse, o governador tenha compromisso com Xique-Xique e que priorize as necessidades mais urgentes, como saúde, abastecimento e segurança, que tivesse também como prioridade a construção da estrada que liga Xique-Xique a Sento Sé passando pelo Baixio de Boa Vista e que invista nesta terra que tem grande potencial para ser um polo de desenvolvimento para toda micro Região.

Enquanto Dr. Lula conversava com Souto na sua residência, o ex-prefeito olhava do meio da rua, sem poder entrar, pois correligionários de Lula protegiam a entrada, onde Reinaldinho não seria bem vindo, uma vez que ele nunca teve respeito aos adversários, usando sempre as rádios e redes sociais para atacar, xingar e denegrir a imagem de várias famílias xiquexiquenses, por questões políticas.

Além destes vexames, o povão não compareceu ao chamado de Reinaldinho para o encontro com o candidatado a governo, mostrando que, sem o poder da prefeitura e com a imagem manchada depois de ser condenado pelo TCM a devolver cerca de R$ 2.000.000.00 aos cofres públicos, o grupo Braga que tem o pai de um lado e filho do outro, numa velha e conhecida manobra política de uma vela pra “deus” outra pra o “diabo”, perde força no município.

Paulo Souto, no entanto, deve recuperar boa parte da sua votação em Xique-Xique depois da última eleição, pois, além do atual governo ter prometido muito sem cumprir, traiu seus aliados, perdendo gente da linha de frente, e isso deve refletir no resultado das urnas, apesar do evento regional promovido em Xique-Xique pelo seu adversário mais potencial, Ruy Costa, que no dia 12/09 fez grande carreata.

No frigir dos ovos, a grande luta eleitoral no município neste momento é visando à eleição de 2016, onde cada um tenta mostrar a sua força e importância. O atual prefeito Dr. Ricardo fez o dever de casa no evento de sexta. O vice Dr. Lula, menosprezado pelo governo, foi valorizado e recebeu em sua residência o candidato Paulo Souto que lidera neste momento as pesquisas na Bahia. Já o ex-prefeito Reinaldo Braga Filho, não deve estar muito feliz, pois, além de não conseguir mobilizar o povo, apesar do apelo pessoal nos carros de som e convites impressos, percebeu que Souto, caso ganhe a corrida eleitoral, governará com todos os aliados em Xique-Xique, como fez no passado com Magalhães e Braga, sem valorizar uns em detrimento de outros, mesmo por que, a campanha de Souto no município têm o apoio de outras lideranças políticas, além do ex-prefeito.
Leia Mais

Vote nas lágrimas de Marina e quem vai chorar por último será você

A candidata Marina Silva deflagrou, neste sábado, uma nova estratégia política; quer vencer as eleições de 2014 com uma nova arma: suas lágrimas


A eleição presidencial começou mesmo em 13 de agosto último, nem duas horas após o anúncio da morte de Eduardo Campos – o irmão dele já se oferecia para ser vice na chapa de Marina Silva, quem, no mesmo dia, já começava a fazer seus cálculos políticos.


A partir dali, a mídia transformou Marina em viúva-honorária do falecido. Durante mais de uma semana, TV, internet, rádio, revistas, jornais e o que mais se puder imaginar inundaram a sua vida, leitor, com imagens da viúva política de Campos ostentando expressão de dor que só ela sabe afetar.

E, de quebra, vestindo preto.


Por alguma razão, Globo, Folha, Veja e Estadão acreditaram que a disparada de Marina se daria às custas dos votos de Dilma e não dos de Aécio, porque a pessebista seria “de esquerda” como a petista.





Marina, porém, como foi previsto aqui tantas vezes, tornou-se problema imediato de Aécio, não de Dilma. Assim, tal qual vampira sugou os votos do tucano até deixá-lo literalmente exangue, eleitoralmente.

Fico só imaginando a cara desses apalermados da mídia corporativa ao perceberem o tiro de bazuca que haviam dado no próprio pé.

Eis, então, que, confiante na estupidez do eleitorado, a mídia desanda a espancar aquela em quem ainda não confiava – justamente por caírem na dela e acreditarem-na “de esquerda” –, na esperança de ressuscitar o tucano abatido em voo baixo.

Volto a ver, em pensamento, a expressão abobalhada que se estampou nas fuças dos “doutores” em tudo que infestam a imprensa brasileira.

Agora, os “geniais” apalermados e abobalhados barões da mídia tiveram mais um plano infalível: transformar em agressão torpe, baixaria, golpe abaixo da cintura Dilma meramente travar o debate político sobre as propostas vacilantes da adversária.

Querem impedir que Dilma reaja ao que fez Marina no debate da Band, que aconteceu não faz nem um mês, quando a verdinha espancou os dois principais adversários enquanto estes se encolhiam ante a agressão de alguém recém-canonizada.

Apesar dos fatos sobre quem começou a troca de críticas, a capa da Veja desta semana e as da Folha de São Paulo dos últimos dias inventaram uma santinha esmagada pela truculência de uma Dilma mostrada como destemperada, covarde e todos os outros adjetivos necessários à caricatura.

Será que vou precisar resgatar a montanha de matérias da própria grande mídia reconhecendo que quem começou a pancadaria foi Marina no debate da Band ou a mídia golpista de direita prefere reconhecer já que Marina chorar agora por simplesmente ser criticada, logo após ter partido para cima dos que só revidam, não passa da mais pura vigarice? Sim, Marina quer colocar suas próprias lágrimas a serviço de uma estratégia política.



Quão trouxa é o eleitorado brasileiro? Já se viu que não tanto quanto pareceu no momentum da passagem de Eduardo Campos.

Aos poucos, as pessoas foram se posicionando – mais rapidamente no lado de Marina e mais lentamente no lado de Dilma –, e o país se dividiu em igualdade de partes. Como se disse aqui tantas vezes, esta eleição será decidida por margem exígua, talvez por uma casa decimal.

Nesse quadro, a eleição pode caminhar para uma loteria. Afinal, há muito trouxa no Brasil capaz de votar em lágrimas ou em viúvas de araque que chegam a fazer “selfie” sobre o caixão do “cônjuge” recém-saído desta para melhor.

Se o pior suceder, se ficar provado que a maioria do povo brasileiro é composta por trouxas e se, assim, os trouxas vencerem a eleição presidencial, quem irá chorar por último serão eles. Muito poucos irão ganhar em um governo de banqueiros e barões da mídia.

.Dá pra entender? Marina rir no velório  e chorar no palanque ... !
. 
Leia Mais

Quem são os homens de bem de Marina?



Marina Silva já não faz campanha eleitoral. Estabeleceu uma verdadeira “guerra santa” contra os partidos políticos e ao princípio democrático. Está cada vez mais difícil separar o que é hipocrisia do que é uma crença.

A última pérola demagógica da candidata foi a proposta de um “comitê para a busca de homes de bem”. Ou seja, de pessoas que tenham a capacidade e a honestidade para ocupar cargos públicos. Marina pretende largar o cajado e pegar a balança, e exercer o seu trabalho messiânico fundamentalista para julgar o caráter das pessoas. O grande problema é o seu critério de medida como veremos adiante.

Parece que a ex-senadora se julga acima do bem e do mal, como um ser supremo detentor de uma sabedoria incomum. É o auge absurdo de um comportamento megalomaníaco, muito distante do ideal de Democracia sustentado pelos maiores estadistas.

Chuchil, por exemplo, que estava longe de ser um socialista, afirmou de forma peremptória: “A democracia é a pior forma de governo imaginável, à exceção de todas as outras que foram experimentadas”. Aristóteles também considerava a Democracia imperfeita. Por isso afirmava o ideal da Politeia (o governo de todos) e o da Aristocracia (Governo do Melhores).

Contudo, o mestre grego considerava a Politeia impossível, pois se converteria no governo de muitos (ou dos pobres para alguns tradutores), que é a Democracia. Já a Aristocracia sempre degenerava para a Oligarquia, algo muito conhecido no Brasil na República Café-com-Leite, e de muitos apoiadores da candidata acreana.

Alguém já disse que a neossocialista não é uma candidata à Presidência da República, mas ao “cargo de Santa”. Talvez ela tenha incorporado este ideal, afastando qualquer estratégia política baseada na lógica e na razão. Seus discursos são milenaristas, como se estivesse indicando a chegada do apocalipse.

Todavia, quando confrontada com o mundo real, não consegue achar o caminho. Embretada num debate recente pela Presidenta Dilma Rousseff (PT), sobre como encontraria recursos para executar suas propostas, Marina (PSB) respirou, tergiversou e não disse nada.

Aliás, está num páreo duro com outra candidata oposicionista, mas no nível estadual, para ver quem apresenta o projeto mais inconsistente. Ana Amélia Lemos (PP) do Rio Grande do Sul, já afirmou em debate que não iria responder a uma pergunta do Governador Tarso Genro (PT), pois aquele não era o local. Ou seja, transparência zero. Apelou apenas, para um demagógico corte de pequenos cargos comissionados – algo como 0,3% do gasto do Estado com pessoal.

Mas o caso de Marina é o mais gritante, o mais absurdo, e o mais ofensivo a qualquer pessoa que se julgue ao mínimo com senso crítico. Ela pretende assumir o maior cargo do país com propostas indignas até mesmo a uma conversa de bar. Ofende diariamente a inteligência das pessoas, ainda de permanecer num jogo contínuo de mudanças de opiniões.

Quem são os homens de bem de Marina? O pastor Malafaia e sua cruzada contra o ativismo gay? O Deputado Feliciano, que afundou a direção da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados? A sua equipe econômica que pretende entregar a nossa soberania econômica ao capital internacional, oferecendo autonomia plena ao Banco Central? Quem tem poder para julgar os homens de bem por Marina?

Marina Silva acredita ocupar alguma poltrona no mais alto pedestal da moralidade, enquanto fecha os olhos a centenas de denúncias apresentadas contra os seus parceiros políticos. Diferente de Dilma, que promete investigação e punição, aliás, algo que já vem fazendo desde que assumiu o Cargo Maior da Nação, Marina tem preferido desconversar, aliás, já pensando em eventuais apoios nos segundo turno das eleições, se é que estes acontecerão!

Se em 2010 a candidata de oposição apelava para o falatório niilista, ao ponto de ter recebido o irônico apelido de Blá-blarina pelo colunista Paulo Henrique Amorim, em 2014 a “nova política” de Marina Silva é um discurso arrogante e irreal. Ela teima, insistentemente em desconsiderar a capacidade intelectual dos eleitores. E pior do que isto, migrou claramente para a direita no seu pior formato.

Governar acima dos partidos era uma pretensão de Benito Mussolini. Este também era defensor da Aristocracia, do Governo do Melhores! Tanto Marina Silva, como Mussolini, tiveram passado na esquerda democrática e caminharam para a Direita.

O governo do italiano foi uma tragédia, uma ditadura totalitária. Já o projeto de Marina, cada vez mais se apresenta um desenho autoritário, agressivo, mas com um modelo de ditadura diferente, comandada apenas pela hipocrisia e pelo capital financeiro internacional. Também tende a ser uma tragédia, pois segue o mesmo receituário de fome e desemprego aplicado na Grécia.

Já faz muito tempo que é uma heresia chamar Marina Silva de ambientalista. Hoje, também, é ofensivo a qualquer pessoa de bom senso, chamar o seu projeto de “nova política”.

Leia Mais

Rui Costa promete ponte sobre o Rio São Francisco ligando Barra a Xiquexique

12/09/2014


O candidato a governador da Bahia pelo PT, deputado Rui Costa, comprometeu-se com a construção de uma nova ponte sobre o Rio São Francisco.

A ponte é a esperança da região e facilitará o acesso ao município de Barra pela região de Xiquexique e a estrada do feijão.

“Essa é uma obra prioritária e se o estado não tiver condição de fazer sozinho, vamos atrás de recursos junto ao Governo Federal”, destacou Rui, salientando a importância da obra para o desenvolvimento e melhoria da mobilidade na região: “Vai facilitar o acesso, não só das pessoas, mas de mercadorias e de oportunidades para Barra e aproximando ainda mais a região oeste do leste da Bahia”.
Nesta sexta-feira (12), a chapa majoritária da coligação Pra Bahia Mudar Mais prosseguiu em intensa atividade pelo interior, começando por Xiquexique, onde se fez uma carreata até  a tradicional feira livre da cidade. 
Leia Mais

Aécio e Marina começam a brigar feio

Com pouco mais de três semanas para o primeiro turno das eleições gerais 2014, a campanha eleitoral para presidente da República deve se acirrar entre os principais nomes ao Palácio do Planalto. Pelas redes sociais, os dois principais candidatos da oposição a Dilma Rousseff (PT) elevaram o embate político desde ontem (11). A ex-ministra Marina Silva, candidata do PSB, acusou o seu oponente Aécio Neves, do PSDB, de adotar a mesma tática de “desconstrução” praticada pelo PT contra ela.


“O Aécio está agora fazendo o mesmo trabalho de desconstrução que o PT faz sobre mim. Com os Com pouco mais de três semanas para o primeiro turno das eleições mesmos argumentos usados contra Lula”, postou Marina, no Twitter, durante a manhã de ontem. A candidata do PSB é atualmente a segunda colocada nas intenções de voto, de acordo com pesquisas divulgadas esta semana, tendo desbancado o ex-governador de Minas Gerais, hoje em terceiro.


Horas depois, o tucano se manifestou na mesma rede social e retrucou a candidata pessebista: “Disse sim que @silva_marina passou mais de 20 anos no PT. Isso não deveria ofendê-la. É sua trajetória política. Eu me orgulho da minha.”


Dois minutos depois, Aécio aproveitou seu novo comentário para atacar a presidenta Dilma Rousseff, candidata pelo PT, alegando se diferenciar das críticas que faz a Marina. “Também não concordo com a @dilmabr, quando ela diz que Marina se parece com Collor. Não há semelhança entre nós e o PT nem nas críticas.”


Um minuto depois, um novo comentário, desta vez criticando Marina. “Quem imagina ser presidente da República precisa dizer quem é. Debater não é desrespeitar o adversário. É respeitar o eleitor”, escreveu. Por fim, o debate virtual no Twitter se encerrou com Aécio se defendendo: “@silva_marina na verdade, estou fazendo o debate político. Fundamental para a democracia. Não desconstruindo sua imagem. Quem imagina ser presidente da República precisa dizer quem é. Debater não é desrespeitar o adversário. É respeitar o eleitor.”


Durante uma entrevista na manhã de ontem, o tucano havia acusado veladamente a adversária do PSB de falta de coerência no presente, já que ela foi filiada ao PT por duas décadas, e cobrando dela “maior credibilidade em relação aquilo que pensa”, embora tenha se defendido que sua crítica à Marina se dava “campo político”. Aécio também voltou a se apresentar como “caminho correto” para o futuro do Brasil e a comparar sua candidatura como a de “seleção brasileira” contra um “segundo time”.


RBA
Leia Mais

Um dos fugitivos da delegacia de Irecê foi morto em confronto com a policia


Um dos 20 presos que fugiram da carceragem da 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), em Irecê, foi morto  durante uma troca de tiros com policiais militares. O caso ocorreu na manhã de quinta-feira (11), por volta das 11h, na cidade de João Dourado.
De acordo com a delegacia de João Dourado, Lucivaldo Neres de Araújo, conhecido por "Lulinha", 25 anos, tentou assaltar um supermercado quando o um dos funcionários do estabelecimento acionou a polícia. Assim que os PMs chegaram no local, o foragido, que estava armado, reagiu atirando contra os policias.
Durante o confronto, um homem e uma mulher que passavam na rua foram atingidos de raspão. Minutos depois, Lucivaldo acabou sendo baleado no tórax. Ele chegou a ser socorrido para o hospital da cidade, mas não resistiu e morreu.
Segundo a polícia, a vítima era acusada de diversos assaltos à mão armada e furtos. Lucivaldo e mais 19 detentos fugiram da delegacia de Irecê depois de serrar as grades da cela onde estavam, na última segunda-feira (8). Ninguém foi preso até o momento.
Leia Mais

Dilma abre vantagem de 8 pontos sobre Marina no primeiro truno, havendo empate técnico no segundo turno

10/09/2014



A nova pequisa Vox Populi/CartaCapital mostra uma vantagem de oito pontos percentuais da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) sobre a adversária Marina Silva (PSB) no primeiro turno e um cenário de empate técnico no segundo.

Na intenção de voto estimulada, Dilma aparece com 36%. Marina tem 28% e Aécio Neves, 15%. Este foi o primeiro levantamento da série após a morte de Eduardo Campos e a escolha de Marina Silva para substituí-lo, portanto não há base de comparação. Os demais candidatos somam 2%. Brancos e nulos seriam 7%. Outros 13% não souberam indicar um candidato ou não quiseram responder.

O Vox fez duas simulações de segundo turno. Marina Silva obteria 42% dos votos, contra 41% de Dilma Rousseff. Brancos e nulos somariam 10%, enquanto 7% estariam indecisos. Entre Dilma e Aécio, a petista venceria por 44% a 36%, com 12% de brancos e nulos e 8% de indecisos.
Apesar de Marina ainda estar numericamente à frente no segundo turno, 49% do eleitorado aposta na vitória de Dilma Rousseff. Para 31%, a ambientalista será a nova presidenta. Apenas 8% ainda acreditam nas possibilidades de Aécio Neves.

O tucano possui ainda o maior índice de rejeição (45%). Dilma alcança 42% e Marina, 40%.

O levantamento, com duas mil entrevistas em 147 cidades, foi realizado entre a segunda-feira 8 e a terça 9. Mostra, portanto, que o mais recente escândalo na praça, o vazamento de trechos da delação premiada do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto da Costa, ainda não surtiu efeitos eleitorais. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e o número de registro na Justiça Eleitoral é BR- 00588/2014.


Carta Capítal


Leia Mais

Hospital Espanhol de Salvador fecha as portas para atendimento

Ontem, dia 9 de setembro, os últimos pacientes foram liberados no Hospital Espanhol  que encerrou as suas atividades de atendimento médico.

O hospital que foi fundado pela colônia espanhola de Salvador, comportava 270 leitos, sendo 60 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e 12 UTI’s pediátricas. O único setor que não foi atingido foi o de hemodiálise.

Está marcada uma reunião no Ministério Público Estadual, hoje, quarta-feira (10), quando se discutirá sobre a crise do Espanhol, com a participação  do  Sindicato dos Médicos da Bahia  (Sindimed-BA). 


O hospital tinha estabelecido um plano de reestruturação financeira em 2013, com um acordo entre o Estado e a Caixa Econômica Federal, mas não houve resultados. De acordo com o diretor do corpo clínico do hospital, Djean Amorim, funcionários e médicos continuam sem receber salários.
Leia Mais

Alerta: 20 presos fogem da cadeia de Irecê

08/09/2014

Os fugitivos são acusados de crimes como assassinatos, tráfico de drogas e assaltos a mão armada.

Um grupo de 20 presos fugiu durante a madrugada desta segunda-feira (8) da carceragem a 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), em Irecê. Os criminosos serraram as grades das celas e escaparam por uma porta lateral, que também foi serrada.

De acordo com a delegacia do município, a fuga aconteceu por volta de 2h30. A polícia suspeita que as grades já estavam serradas nas extremidades, mas os presos conseguiram disfarçar os cortes, evitando que os policiais civis percebessem os danos na cela. Apenas na madrugada de hoje eles derrubaram as grades para fugir.

Uma serra manual foi deixada na carceragem durante a fuga. Ao todo pouco mais de 60 presos estavam detidos na 14ª Coorpin até antes do caso. Nenhum dos 20 que escaparam foi encontrado. A Polícia Militar e a Polícia Civil de Irecê fazem buscas na região.

Correio da Bahia
Leia Mais

Os riscos dos escândalos de última hora

Denúncias de última hora "causam sensação na mesma medida em que prejudicam uma apuração serena. Hipóteses que não foram provadas ganham a fisionomia de fatos reais. Suspeitos – ou nem isso – logo são apontados como culpados", escreve Paulo Moreira Leite, para quem a "prudência recomenda cautela" nesses casos; jornalista lembra que Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras autor de denúncias de propina envolvendo a estatal, "tem todo interesse em diminuir a própria acusação em troca de denúncias que possam envolver políticos e autoridades"; "As informações são verdadeiras? Não se sabe".

 
"A prudência recomenda cautela contra denúncias divulgadas em véspera de eleição", escreve Paulo Moreira Leite em seu blog no 247. Ao comentar a delação do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que entrou o nome de dezenas de deputados, senadores, ministro e até governadores como beneficiados em um esquema de propina envolvendo a estatal, o jornalista ressalta o risco desse tipo de escândalo.

O risco é óbvio: escândalos de última hora causam sensação na mesma medida em que prejudicam uma apuração serena. Hipóteses que não foram provadas ganham a fisionomia de fatos reais. Suspeitos – ou nem isso – logo são apontados como culpados. Escândalos dessa natureza são mais difíceis de apurar e, muitas vezes, não há o interesse de esclarecer. O que se quer é o barulho.
Sobre o caso em si,  lembra PML que Paulo Roberto, que acertou acordo de delação premiada com a Justiça em busca de uma pena menor, "tem todo interesse em diminuir a própria acusação em troca de denúncias que possam envolver políticos e autoridades". Outro ponto, lembra o jornalista, "é que ninguém sabe o que ele disse – oficialmente".
"As informações são verdadeiras? Não se sabe — até porque não tivemos uma investigação com base em provas e outros indícios para atestar sua consistência, ou não. As informações estão sendo divulgadas com isenção, ou de forma seletiva, de acordo com a preferência política de quem publica a história? Também não podemos saber antes de ter acesso ao conteúdo integral dos depoimentos". O que sabemos, até agora, é que "nenhuma denúncia foi confirmada, por mais vaga que fosse".

Brasil 247
Leia Mais

Na estrada do feijão policial fazia abordagem e morre imprensada por veículo

Ontem, domingo, por volta das 19h30, uma policial militar morreu após ser atingida por um carro durante uma abordagem na BA-052, (Estrada do Feijão), na região entre os municípios de Tapiramutá e Morro do Chapéu. Em nota publicada no G1 Bahia, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) informou que Geise Lima Santana estava ao lado da viatura quando foi imprensada por um outro veículo, que saiu da pista e a atingiu.

A polícia afirmou ainda que Geise fazia com um colega uma abordagem rotineira a um motorista na rodovia quando foi atingida por um outro carro. O parceiro da policial, que também é noivo dela, estava mais à frente conversando com condutor e não ficou ferido. Ele socorreu Geise Lima para um hospital em Piritiba, mas a policial não resistiu.

Geise Lima Santana é lotada da 24ª Companhia Independente de Polícia Militar (24ª CIPM) de Jacobina, e tinha participado mais cedo do desfile de 7 de Setembro na cidade, informou a Polícia Militar.


Agências de informações
Leia Mais

A segunda morte de Eduardo Campos


Por Paulo Nogueira


Em sociedades mais avançadas, publicar acusações gravíssimas com base em palavras de um delator traz um risco sério para empresas de mídia.No Brasil, não acontece nada.
Gosto de citar o caso exemplar de Paulo Francis, em que estava envolvida, por coincidência, a Petrobras. Francis, numa campanha contra a Petrossauro, como a chamava, acusou os diretores da empresa de corruptos.
Os diretores, se o processassem no Brasil, não conseguiriam nada. Seriam acusados de conspirar contra a liberdade de imprensa e continuariam a ser massacrados por Francis. Acontece que uma das calúnias de Francis foi proferida nos Estados Unidos, no Manhattan Connection.
E então os executivos da Petrobras puderam processá-lo pela justiça americana. Pediram a ele, nos Estados Unidos, uma só coisa: provas. Ele não tinha nada. Na iminência de uma multa que o quebraria, ele entrou num processo de turbulência mental do qual resultou um enfarto fatal.
Elio Gaspari disse que Joel Rennó, o então presidente da Petrobras, matou Francis. Na verdade, Francis matou Francis.
São conhecidas as pressões que FHC e Serra, então no poder, fizeram para que os homens da Petrobras desistissem do processo.
No Brasil, a sociedade está à mercê da mídia.
Como a justiça é inoperante, jornais e revistas têm o que um premiê britânico chamou, num confronto com um barão da mídia, de “o atributo das prostitutas” – o poder sem  responsabilidade.
Ninguém sabe ainda em que circunstâncias o delator Paulo Roberto Costa falou. O que se tem de concreto é que ele pode incriminar quem quiser, pelo menos neste momento. Mesmo assim, a imprensa vai divulgando nomes de citados sem a menor cerimônia, como se fosse uma banalidade.
O real objetivo, ninguém se ilude, é eleitoral. Ninguém está interessado em moralizar nada. Se houvesse um intuito de limpeza ética, o caso do metrô de São Paulo teria sido investigado em profundidade, bem como os 450 quilos de pasta de cocaína encontrados num helicóptero de amigos de Aécio.
A posição absurda desfrutada pela mídia no Brasil foi bem descrita num tuíte do senador Roberto Requião, candidato ao governo do Paraná. “Até agora o Henrique Alves manteve engavetado meu projeto de direito de resposta. E agora. Deve ter entendido que sua aprovação é importante?”
Henrique Alves é o presidente da Câmara. Como Eduardo Campos, está na lista de Costa.
No Brasil, sequer o direito de resposta vigora.
Ayres de Britto, ao anular a Lei de Imprensa, jogou fora coisas vitais da defesa da sociedade, como o direito de resposta. Quando aparentemente ele se movimentava para corrigir o erro, foi apanhado por uma denúncia da Folha que envolvia um genro seu.
Parece ter entendido o recado, e não mexeu mais no assunto. Virou, no Mensalão, amigo da imprensa, e escreveu o prefácio de um livro de Merval sobre o assunto. Justiça e mídia deveriam se fiscalizar uma à outra, mas no Brasil acabaram se abraçando e se autoprotegendo.
Um dia as fotos em que Merval e Ayres de Britto se abraçam, sorridentes, no lançamento do livro merecerão o devido repúdio da sociedade. “Como pudemos descer a este ponto?”, as pessoas se perguntarão.
É neste cenário que Eduardo Campos é morto pela segunda vez. Os assassinos de sua reputação agiram sabendo que gozam de total impunidade.
Mais uma vez, minhas condolências à família e aos amigos de Campos.

O autor da matéria,  jornalista Paulo Nogueira, é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.
Leia Mais

Vítimas de assaltos ocorridos dentro de ônibus poderão ser indenizados

Na hipótese de um assalto a ônibus, o passageiro que foi roubado poderá pedir o ressarcimento do valor perdido à empresa de transporte. Desde que apresente provas do ocorrido. 

O Código  de Defesa do Consumidor diz que "os órgãos públicos, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros e, quanto aos essenciais, contínuos."
Da maneira que o serviço de transporte é pago por meio da tarifa de transporte urbano, o passageiro, que tem a posição de consumidor, tem o direito à segurança e ao serviço de forma correta. A partir daí, as vítimas podem entrar na Justiça, por meio do juizado especial de pequenas causas para ter o seu direito. Uma das maneiras de prova o assalto é com as imagens registradas por câmeras de segurança dos coletivos

O pedido a ser analisado pela justiça tem amparo no disposto no artigo 22 do Código de Defesa do Consumidor ao estabelecer que os serviços públicos e concessionários, precisam ser oferecidos com a adequação correta. Desde que as empresas  não comprovem o que estabelece o Código,  terão que  promover o ressarcimento e a reparação de danos sofridos pelos cidadãos lesados. E isso é direito do consumidor.

Fonte: Ibahia
Leia Mais

Denúncias são boatarias de caráter eleitoreiro, diz Carvalho

07/09/2014





O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, classificou como “boataria” as denúncias de envolvimento de parlamentares em esquema de pagamento de propina na Petrobras. Segundo, o ministro, as acusações têm caráter eleitoreiro.

“Não posso tomar como denúncia contra a base aliada uma boataria de um vazamento sobre um procedimento que não sei qual é. Só vamos falar depois que houver o inteiro teor das denúncias”, disse ao final do desfile de 7 de Setembro. “Estão tentando usar a notícia de delação premiada para, no desespero, mudar o rumo da campanha. O vazamento é sempre condenável”, completou.

Para Carvalho, só após a confirmação das denúncias o governo fará a apuração do caso. “As apurações serão feitas como sempre ocorreram”, afirmou.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, lembrou que o inquérito corre em sigilo, mas que as apurações estão sendo feitas. “É importante que se faça a investigação e se esclareça. O inquérito corre em sigilo, portanto não se pode fazer nenhuma valoração a respeito. A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público, está fazendo as apurações dentro daquilo que a lei determina”, disse.


Denúncias publicadas na revista Veja desta semana afirmam que o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa revelou, por meio da delação premiada, nomes de mais de 30 pessoas, entre parlamentares, ministros e ex-governadores que teriam participado do esquema. Os políticos teriam recebido 3% de comissão sobre o valor dos contratos da Petrobras durante a gestão de Paulo Roberto, que está preso desde junho.


Agências de Notícias 
Leia Mais