Pesquise no A Voz

Carregando...



Vale do São Francisco aposta na produção de suco de uva

05/11/2010

O suco de uva pode vir a ser a saída para os produtores da fruta do Vale do São Francisco, que atualmente vivem um período de incertezas em função da desvalorização do dólar, da irregularidade das chuvas e do aumento do custo da produção.


Apostando nisso, pesquisadores da Embrapa Semiárido, em Petrolina (PE), estão desenvolvendo um suco de uva a partir de processos industriais de transformação que oferece como principais vantagens a rapidez com que é produzido e a possibilidade dessa produção ser feita durante o ano inteiro.

Hoje, segundo o presidente do Instituto da Fruta – Vale do São Francisco, Ivan Pinto, o mercado interno tem aumentado 10% a cada ano e o consumo do suco de uva já representa 21% do consumo de todos os sucos no País. Por conta disto, ele acredita que este tipo de produção “vai dar sustentabilidade a este setor produtivo”.

“O suco de uva tem um retorno mais rápido. Enquanto o vinho precisa esperar todo o processo fermentativo, que pode durar de 50 a 60 dias, o suco consegue estar pronto para o consumidor em cerca de quatro ou cinco horas”, destacou o pesquisador da Embrapa na área de enologia, Giuliano Elias Pereira.

Segundo ele, a produção pode ser ininterrupta devido ao fato de as variedades de uva utilizadas serem tolerantes à chuva.

Apesar de se encontrar ainda em estágio de experimento, o suco tem atraído a atenção de pequenos, médios e grandes produtores da região por conta do seu potencial de qualidade.

“Um desses produtores demonstrou interesse em produzir 500 hectares de uva para suco. Outro está interessado em dedicar pelo menos mil hectares”, informou, res saltando que pequenos produtores de um assentamento também o procuraram para obter informações.

Os pesquisadores pretendem prestar serviço a estes pequenos produtores, que poderão utilizar o espaço e os equipamentos para processar o suco.

“Cobraremos apenas os custos do vapor, da caldeira e da luz. A ideia é mostrar que, se organizados, eles poderão trabalhar em sistema de associação ou cooperativa”, enfatizou.

Para montar esse espaço de processamento do suco de uva, é necessário investimento de pelo menos R$ 300 mil em equipamentos para produção de 1,5 mil litros ao dia.

“Estou convicto que a produção de suco de uva irá aumentar muito mais rápido que a de vinho. Isto porque o mercado consumidor de suco de uva inclui também crianças, adolescentes e idosos”, afirmou Giuliano Pereira, assegurando que o produto é aromático e, ao ser consumido, dá a sensação de estar comendo a uva”.

Ele diz que os pesquisadores esperam adquirir resultados não apenas com uma safra, mas com as safras de pelo menos dois anos para então apresentar oficialmente o suco.

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO:
Os comentários e postagens que não sejam de autoria do A Voz, são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião deste Jornal. É vedada a inserção de comentários que violem a lei ou direitos de terceiros, que fira a moral e os bons costumes. O A Voz poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam totalmente fora de foco do tema postado. "