Pesquisar este blog




CHUVAS NA REGIÃO DO SÃO FRANCISCO JÁ CAUSAM PREJUIZOS

domingo, 9 de dezembro de 2018


As chuvas que têm caído na região do Vale do São Francisco, principalmente nas regiões de Juazeiro e Petrolina, causaram prejuízos de R$ 7 milhões a produtores de uva, com perdas de 650 toneladas da fruta, em apenas seis dias de precipitação.

O cenário dos parreirais no momento é de muitas frutas perecendo, sem ter como serem colhidas. Trabalhadores estão parados, esperando que a chuva pare e possa ver o que dá para aproveitar.

Com as chuvas, a vazão do Rio São Francisco no lago de Sobradinho (norte da Bahia) chegou a ficar em 1.800 metros cúbicos por segundo, segundo relatório desta sexta-feira (7) da Agência Nacional de Águas (Ana). Sobradinho está com 27% da capacidade.

“A maioria das variedades de uva não suporta tanta água”, comenta o gerente executivo do sindicato Flávio Diniz.

Na região, a produção de uva (do tipo mesa) e manga, ambas exportadas para Europa, Estados Unidos e Ásia, dura todo o ano.

Segundo Diniz, os prejuízos dos últimos seis dias se concentram nas frutas que seriam colhidas para o consumo interno durante o Natal, e os prejuízos podem se estender para 2019.

No Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho, a Fazenda Ara Agrícola cultiva 175 hectares de uva de mesa e, nesse período de chuva, tinha 14 mil quilos da fruta para serem colhidos.

De acordo com o gerente de campo da propriedade, Ivan Lopes, as perdas na fazenda alcançam 40%. Na Ara Agrícola, apenas 20% do planejamento para esta semana foram executados.

“A maioria das uvas que se perderam eram da variedade Crimson, um tipo de uva que não aguenta chuva, então elas apodreceram e nós estamos com uma perda aí de no mínimo R$ 50 mil”, afirmou.

“Quando contamos a diária com a mão de obra parada o prejuízo cresce mais ainda. O trabalhador rural não pode trabalhar durante a chuva; quando ela passa, eles também não podem entrar na área de plantação porque ela está molhada”, acrescenta Lopes.

Para o final de semana, na região do Vale do São Francisco, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê tempo nublado durante o dia e pancadas de chuvas isoladas durante a noite.
Leia Mais

SAÍDA DOS MÉDICOS CUBANOS EXPÕE A DESIGUALDADE DA SAÚDE NO BRASIL



Quase um mês depois que o governo de Cuba anunciou a decisão de retirar 8.332 médicos do programa Mais Médicos, o atendimento é "crítico" em algumas das áreas mais remotas do país, enquanto a maioria das grandes cidades não sentiu o impacto da sua saída.

Cuba ordenou no último dia 14 de novembro a retirada dos médicos que prestavam serviço no Brasil como reação a declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que qualificou os profissionais como "escravos" de uma "ditadura".

Esta decisão desencadeou a saída repentina dos médicos cubanos dos postos de saúde do país e, como resposta, o governo de Michel Temer lançou um concurso para que outros médicos suprissem estas ausências.

Praticamente todas as vagas foram selecionadas por algum médico, mas menos da metade dos profissionais se apresentou até agora nos municípios escolhidos e ainda resta uma centena de postos nos quais ninguém se inscreveu, todos eles em áreas de alta vulnerabilidade, especialmente no norte do país.

É uma realidade muito diferente à de grandes centros urbanos como São Paulo, onde se inscreveram médicos para quase todas as vagas, enquanto outros profissionais foram contratados em caráter de urgência através de acordos com hospitais privados.

Grandes cidades recebem um terço dos primeiros médicos que se apresentaram para substituir cubanos

Esta possibilidade, no entanto, não existe em áreas do Amazonas, ao qual corresponde 77% das vagas que ninguém quer e que agora está vivendo uma situação "muito crítica", como classificou Janna Andrade, voluntário do Conselho Indigenista Missionário que trabalha com comunidades do leste do estado.

"Não existem médicos; nem brasileiros, nem cubanos. Não há nenhum tipo de atendimento médico", declarou Andrade taxativamente em uma conversa por telefone com a Agência Efe.

"Antes que chegassem os médicos cubanos havia problemas e, agora que foram embora, os mesmos problemas voltaram", lamentou.

Para receber a assistência mais básica, os moradores destas regiões agora têm que deslocar-se até 80 quilômetros para serem atendidos em cidades maiores por médicos brasileiros, "que também são poucos", ressaltou Andrade.

No caso de necessidade de atendimento de urgência, as distâncias aumentam para até 400 quilômetros, acrescentou.

Apenas 28 profissionais se apresentaram pelo Mais Médicos em Alagoas

Segundo o testemunho do missionário, a população indígena do leste do Amazonas ficou sem cobertura sanitária de "média e alta complexidade", razão pela qual suas opções são muito reduzidas:

"Recebem cuidados paliativos provisórios e às vezes correm risco de vida porque seguem doentes ou podem morrer".

O presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas, Januário Neto, classifica a situação da região como "emergencial".

"Ninguém quer vir aqui", destacou Neto, que é secretário de Saúde do município de Manaquiri, em referência à centena de vagas que nenhum médico quis ocupar.

Quase 3 mil quilômetros ao sul, São Paulo, vive uma realidade muito diferente, na qual a saída dos médicos cubanos que ali trabalhavam não teve "nenhum tipo de impacto" no atendimento sanitário, segundo um dos supervisores de Saúde da cidade, Wagner Gonçalves.

Segundo explicou o técnico, a prefeitura realizou contratações de urgência com os hospitais privados com os quais normalmente coopera e os novos médicos se incorporaram imediatamente aos seus postos.

A Unidade Básica de Saúde Jardim Vitória, no bairro Cidade Tiradentes, demitiu no último dia 21 de novembro seus dois únicos médicos, que eram cubanos, mas a direção e os funcionários asseguraram à Efe que tudo continuou funcionando igual nos dias seguintes, com novos médicos do hospital particular Santa Marcelina.

Com cerca de 100 vagas ainda não ocupadas, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, reconheceu que os territórios indígenas são uma prioridade e, como "plano B", o governo pretende abrir um novo concurso para atrair mais médicos.

Mais Médicos vai receber inscrições de formados no exterior sem CRM para preencher vagas remanescentes

Desta vez serão ampliados os requisitos para que possam inscrever-se brasileiros formados no exterior e estrangeiros, e Occhi ressaltou que estas e mais alternativas serão transmitidas à equipe de transição do futuro governo.

OGLOBO
Leia Mais

EX-JUIZ SÉRGIO MORO DESDE 2005 ARQUITETAVA PLANO PRA PRENDER E DESTRUIR LULA, DIZ ONYX LORENZONI

sábado, 8 de dezembro de 2018


Em entrevista a Roberto D’Avila/Globo News, Onyx Lorenzoni revelou que Moro arquitetou o plano para prender Lula ainda em 2005, depois de frustrada a primeira tentativa durante o processo do chamado mensalão.

Naquele mesmo ano, no bojo da conspiração para derrubar o primeiro governo Lula, o oligarca Jorge Bornhausen, então presidente do PFL [atual DEM, partido do Onyx], fez a célebre declaração genocida, defendendo a “eliminação dessa raça [dos petistas] do país pelos próximos 30 anos”.

Deixando transparecer orgulho da amizade antiga com Moro, na entrevista Onyx acabou fazendo 1 confidência que tem o efeito de uma bomba nuclear:

A minha relação com Sérgio Moro vem de dezembro de 2005. Eu era sub-relator das Normas de Combate à Corrupção da CPI dos Correios, e convidei o Moro […] naquela época porque a 13ª Vara de Curitiba era – e continua sendo – a única que cuida de lavagem de dinheiro no Brasil”.

Onyx explica que

aí ele [Moro] trouxe uma série de contribuições e duas muito relevantes, que o pessoal de casa vai entender agora: a primeira que ele pediu, em 2005, foi a atualização da Lei de delação premiada, que levou 7 anos pra fazer. A outra [contribuição], a transformação do crime de lavagem de dinheiro de crime acessório para crime principal”.

[…]

Os 2 fatores – a lavagem de dinheiro como crime principal, e a revisão da lei de delação premiada – foram a diferença entre no ‘mensalão’ não ter chegado no Lula, e no ‘petrolão’ ter chegado” [assistir entrevista aqui, a partir do minuto 6:50].

O chefe da casa civil do Bolsonaro trouxe à tona a estratégia política e partidária montada pelo Moro para levar a efeito o plano de perseguição e de prisão do Lula, arquitetado muito tempo atrás.

Conforme revelado, o juiz e o deputado, juntos, arquitetaram a subversão do arcabouço legal do país para concretizar o plano jurídico-político para atingir Lula.

A lei do crime de lavagem de dinheiro foi alterada em 2012, governo Dilma; e a Lei de Organização Criminosa, de 2013, que abarca a “colaboração premiada” teve, ironicamente, como autora a senadora petista Serys Slhessarenko e foi sancionada pela Presidente Dilma.

O planejamento da dupla foi exitoso. O resultado, materializado 13 anos depois, é o confinamento e silenciamento do Lula numa cela solitária e seu banimento do processo eleitoral para impedir sua eleição presidencial, tida como líquida e certa.

Neste momento em que a 2ª turma do STF julga a parcialidade de Sérgio Moro pelos arbítrios perpetrados contra Lula na farsa jurídica que o levou à prisão política, a revelação o Onyx invalida totalmente a “heterodoxa” defesa [ler aqui] que Luiz Fachin e Carmen Lúcia fazem do ex-juiz.


POR JEFERSON MIOLA- BRASIL 247
Leia Mais

A CHEIA

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018


Xique-Xique submergiu, literalmente, nos anos de 1979 e 1980, com reflexos negativos para a economia local perdurando pelos anos subsequentes.
 
Houve erro de cálculo e de planejamento dos agentes milagreiros, prepostos do governo militar.

É forçoso lembrar que as turbinas da Hidrelétrica de Sobradinho proporcionaram a claridade elétrica nas ruas, praças, avenidas, becos, adjacências e quebradas da nossa urbe barranqueira, desdenhando do velho motor, movido a óleo diesel, da precária usina localizada na rua Grande.

A antiga "usina da luz" ditava as regras, exteriorizadas em três sinais, para os jovens que se divertiam à noite "rodando" no jardim da Praça Dom Máximo. O três sinais vindos da usina era o recado do apagão rotineiro das 23 horas. A partir desse horário Xique-Xique ficava na escuridão soturna. Surgia, então, o clarão poético do brilho fulgente da lua.

Os notívagos, os boêmios contumazes, regozijavam-se nas noites de plenilúnio quando o luar refletia nas águas mansas da ipueira, a inspirar as serenatas de violão e de radiola dos amantes à moda antiga.

A rua do Perau então notabilizava-se. O restaurante de Neném Facilita era de utilidade pública nas noites estreladas dos poetas e seresteiros. Noites estreladas a lembrarem uma tela de Van Gogh.

Concorria, única e exclusivamente com Neném, naquelas madrugadas de quietude, o restaurante de Luizinho, onde se contava a história dos abusos sádicos perpetrados contra a pobre rapariga Maria Bandinha, trucidada covardemente, sem remorsos.

Mas a dinâmica do tempo real deletou toda esta história, de mais baixos do que de altos, e Xique-Xique se transformou, metamorfoseando-se tal qual uma crisálida na flor do mandacaru.
Leia Mais

PREFEITO DE IRECÊ PEDE SEGURANÇA DE VIDA


DO BAHIA NOTÍCIAS

O prefeito de Irecê, Elmo Vaz, pediu apoio da Polícia ao declarar que foi ameaçado por um morador. O fato teria ocorrido após uma criança de dois anos cair em uma vala aberta pela prefeitura. 

Não foi informado o estado de saúde da criança. O gestor teria sido ameaçado pelo pai do menor, ainda não identificado. Em áudios que circulam pelo WhatsApp, Vaz disse que “entende” a situação do morador e afirma que o caso tomou proporção porque teria sido aproveitado por opositores.

“Eu estou indo à delegacia, ao Ministério Público Federal, ao Ministério Público estadual, pedir segurança. Eu não tenho nenhuma dificuldade com o pai, com a família. Peço perdão. 

Peço desculpas. Graças a Deus não aconteceu nada. Sei que ele falou na hora de dor porque foi provocado, porque foi incitado, mas estou indo a delegacia porque agora é uma questão de segurança, vou pedir ao delegado e que tome as providências.

Nunca tive medo de andar nas ruas de Irecê. Mas diante do que estão fazendo, eu só obrigado a pedir segurança”, diz um áudio compartilhado pelas redes sociais. O caso ocorreu durante as chuvas que caíram na cidade nos últimos dias.

Leia Mais

MORTES VIOLENTAS BATEM RECORDES

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018



O Anuário Brasileiro de Segurança Pública  é uma ferramenta importante para a promoção da transparência e da prestação de contas na área da segurança pública, influenciando a melhoria da qualidade dos dados por parte dos gestores.

Além disso, o anuário contribui para a produção de conhecimento, para o incentivo à avaliação de políticas públicas, para a introdução de novos temas na agenda de discussão do campo e para ações de incidência política realizadas por diversas organizações da sociedade civil.

Com base no Anuário, o Brasil bateu recorde de mortes violentas no ano.

O Brasil se destaca em um recorde desagradável de mortes violentas intencionais notadamente  homicídios, latrocínios  e "contínuos atos de violência física, psicológica ou sexual, assinalados por escravidão sexual, mutilação genital, maternidade forçada, homofobia, tortura e racismo, pautados no ódio em função do gênero " - feminicídio.


A taxa de mortes violentas no Brasil chegou a 30,8 a cada 100 mil habitantes, isto ainda em 2017. Os números de 2018 aparecem no infográfico acima.

VIOLÊNCIA POLICIAL

Ainda segundo  pesquisa,  62% da população brasileira teme ser alvo de violência da polícia militar. Por outro lado, metade dos entrevistados concordam com a ideia de que "bandido bom é bandido morto".
Leia Mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA ADQUIRIU 80 CARROS DE LUXO PARA OS DESEMBARGADORES


Após a compra de 80 carros oficiais, Toyota, modelo Corolla,  o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) vai leiloar 68 veículos usados, de modelo Renault Fluence. A venda será realizada no próximo dia 21, a partir das 9h30, no Galpão da Coordenação de Distribuição, na Avenida Luiz Viana, em Salvador. Antes anunciados para venda em leilão único, quando apenas um comprador poderia adquirir toda a frota, os carros agora serão leiloados em lote individual.

O veículo com valor mais barato terá lance inicial de R$ 23.426,30. Agentes públicos ou servidores do quadro de pessoal do TJ-BA são proibidos de participar do leilão, seja direta ou indiretamente.

O órgão salienta ainda que os veículos serão repassados “no estado de conservação e nas condições de funcionamento em que se encontram, pressupondo-se que tenham sido previamente examinados pelos interessados”. Inclusive, três dos 68 carros possuem multas em aberto e os licitantes vencedores deverão arcar com essas despesas.

Para participar do leilão, os interessados precisam se credenciar perante o leiloeiro, apresentando CPF ou CNPJ, na próxima quarta-feira (12). Com a publicação no Diário de Justiça, nesta quarta (5), o período de visitação dos carros ocorre de hoje,  6, até o dia 12 deste mês de dezembro, no horário das 9h às 16h, sempre em dias úteis.

FROTA RENOVADA

O TJ-BA renovou a sua frota de carros de luxo para os desembargadores com 80 veículos, no modelo Corolla . Aberta em julho deste ano, a licitação com custo de quase R$ 7,5 milhões gerou uma ação popular contrária a compra, mas a Justiça negou o pedido para barrar o pregão. Agora, com o leilão dos 68 carros antigos, o valor mínimo a ser arrecadado pelo órgão é R$ 2.020.156,28.
Leia Mais

BRASIL VOLTA A SER UM PAÍS DE EXTREMA POBREZA

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018


De 2016 para cá, o desgoverno Temer conseguiu a façanha de recolocar a pobreza extrema do país aos mesmos níveis de 12 anos atrás, de acordo com levantamento da ActionAid divulgado pela Agência Pública.

Dados do IBGE também apontam que a  desigualdade cresceu no Brasil entre 2016 e 2017.
  
Em um ano, o numero de pobres aumentou em 2 milhões. Quase uma Salvador ou um Fortaleza de “novos pobres” em um ano.
O Brasil passou a ter quase 2 milhões de pessoas a mais vivendo em situação de pobreza. A pobreza extrema também cresceu em patamar semelhante. É o que mostra a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a pesquisa, em 2016 havia no país 52,8 milhões de pessoas em situação de pobreza no país. Este contingente aumentou para 54,8 milhões em 2017, um crescimento de quase 4%, e representa 26,5% da população total do país, estimada em 207 milhões naquele ano (em 2016, eram 25,7%).

Já a população na condição de pobreza extrema aumentou em 13%, saltando de 13,5 milhões para 15,3 milhões no mesmo período. Do total de brasileiros, 7,4% estavam abaixo da linha de extrema pobreza em 2017. Em 2016, quando a população era estimada em cerca de 205,3 milhões, esse percentual era de 6,6%.

Segundo o IBGE, é considerada em situação de extrema pobreza quem dispõe de menos de US$ 1,90 por dia, o que equivale a aproximadamente R$ 140 por mês. Já a linha de pobreza é de rendimento inferior a US$ 5,5 por dia, o que corresponde a cerca de R$ 406 por mês. Essas linhas
foram definidas pelo Banco Mundial para acompanhar a pobreza global.
Leia Mais

LENDAS DO VELHO CHICO

 

O NÊGO D’ÁGUA

Estava eu  indo para o Icatu e quando passava pelo Canal do Guaxinim  o "nêgo d'água"  emergiu das águas e apareceu  ao lado do meu barco, querendo cachaça e fumo. Por sorte levava comigo os objetos do desejo do compadre.

Para quem não sabe o nêgo d´água vive  no meio do rio, nos locais onde existem rochedos e perto das c'roas. O tal sujeito gosta de fazer locas cavando os barrancos, provocando o deslizamento das terras. Para afugentá-lo ou amedrontá-lo, nós beiradeiros  colocamos armadilhas de pregos e vidros nos lameiros. 


Apesar de viver também fora d'água ele nunca se afasta muito da beira do rio durante as suas andanças e estripulias. Quando implica com um pescador, por vingança afugenta os peixes, tange-os para longe da rede de pesca.  Adora fumo e faz chacotas e zombarias com quem com ele se depara. Conhecedores do vício, os pescadores atiram fumo na água para angariar a sua simpatia.


Em noite de farinhada, o tal elemento costuma habitualmente aparecer nas casas de farinha das ilhas, depois que os trabalhadores se acomodam para dormir. É quando ele passeia entre os que estão adormecidos para roubar-lhes fumo,  beiju e cachaça.

Um pescador contou-me que pescava à noite, de lua cheia,  quando percebeu um vulto  boiando na correnteza. Remou apressadamente em sua direção e ao se aproximar, viu que se tratava de um cavalo morto. Tentou encostar a embarcação para verificar a marca ou ferro e assim  avisar ao dono, quando o animal afundou e, logo em seguida, a canoa foi sacudida. Era o nêgo d'água agarrado à borda da embarcação tentando virá-la.

Nesse instante o pescador lembrou que trazia consigo um pedaço de fumo. Imediatamente o atirou para o elemento que, dando cambalhotas e esbravejando, desapareceu no fundo do rio.

Alguns dizem que existe apenas um nêgo d'água em todo o rio São Francisco, outros dizem que são muitos. O fato é que o bicho povoa na imaginação de muitos meninos beiradeiros e à noite raros são os meninos que se aproximam do rio.

Quanto ao nêgo d'água que me apareceu no canal do Guaxinim, confesso que nunca mais o ví, nem quero mais ver essa “livusia” mal assombrada.


Leia Mais

PROIBIDA PESCA NO RIO SÃO FRANCISCO

terça-feira, 4 de dezembro de 2018



Desde 1º de novembro está proibida a pesca no Rio São Francisco, por parte do Ibama (órgão federal), com todo tipo de malhas e outros equipamentos, devido à época do defeso (de reprodução dos peixes).

Para não ficar sem renda alguma ou nem um peixe para comer, os pescadores recebem o seguro defeso do Governo Federal (salário mínimo de R$ 954) e podem pescar de anzol, mas com restrições.

O Ibama permite que eles pesquem com anzol até 5 quilos de peixes de espécies nativas e mais um exemplar de outras espécies, desde que não estejam na lista de extinção, porém o órgão admite que fiscalizar isto é um trabalho quase impossível.

No caso dos pescadores que estavam na embarcação que virou no  domingo em Xique-Xique, eles pescavam apenas com anzol, segundo informou o capitão PM Tavares. “Todos são ribeirinhos, apenas dois deles eram pescadores profissionais”, disse o policial.

A proibição da pesca se estende nas lagoas à beira do rio até 30 de abril. Isso porque nas lagoas é onde estão os berçários do rio. A maior delas, com 24 km de extensão, é a lagoa de Itaparica, entre Xique-Xique e Gentio do Ouro.


Correio


Leia Mais

Encontrados todos os corpos das vítimas do naufrágio em Xique-Xique

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018



O corpo da última vítima de naufrágio no Rio São Francisco, em  Xique-Xique, foi localizado na tarde desta segunda-feira (3), horas depois do resgate do penúltimo desaparecido.

Bartolomeu Mariano Bento, de 42 anos foi o último desaparecido no acidente com uma canoa que vitimou outras quatro pessoas.

Foto Correio da Bahia
Além de Bartolomeu Bento, policiais militares da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Semiárido encontraram os corpos de Jebson Luiz dos Santos, 29 anos, e Washington Bispo dos Santos, 39 anos, no começo do dia, e de Mário Jorge dos Santos Matos, de 52 anos, no início desta tarde.

Duas pessoas sobreviveram ao naufrágio, Givaldo Pereira dos Santos e Raniere Santos de Souza, depois de conseguirem nadar até à margem do rio e pedir socorro às autoridades.

Para auxiliar na localização das vítimas, a PM utilizou duas embarcações e atuou em parceria com a Marinha do Brasil e de pescadores da região. Equipes do 7° Batalhão da Policia Militar da Bahia também atuaram na ocorrência.

Com informações do Bahia Notícias
Leia Mais

Três corpos já foram resgatados no rio



Três dos quatro pescadores desaparecidos no naufrágio ocorrido ontem  em Xique-Xique, foram encontrados.   Os corpos de Jebson Luiz dos Santos,  de Washington Bispo dos Santos e Mario Jorge dos Santos foram resgatados na manhã desta segunda-feira (3) no Rio São Francisco.   Seis  pessoas estavam no barco.




Um pescador de nome Bartolomeu Mariano Bento  continua desaparecido. O resgate dos três  corpos foi realizado por unidades da Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe). As vítimas estavam pescando com amigos em uma pequena embarcação  quando ocorreu o acidente. 

Dois homens Givaldo Pereira dos Santos e Raniere Santos de Souza, que estavam no barco, conseguiram nadar até as margens. Foram eles que acionaram a polícia que começou as buscas no domingo. O trabalho de procura foi retomado nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira. 

A Marinha foi acionada. Além de unidade especializada, Cipe,  equipes do 7° Batalhão da Polícia Militar, do Destacamento de Xique-Xique e pescadores ajudam nas buscas.
Leia Mais

Barco naufraga a 2 Km de Xique-Xique, com seis pessoas



Um pequeno barco   com seis  pessoas  naufragou por volta das 15:30 deste domingo, 2, no rio São Francisco a 2 km de Xique-Xique.

Dois homens conseguiram sobreviver, nadando até à margem do rio e quatro estão desaparecidos.

No inicio da noite do domingo  as buscas foram suspensas, devendo retornar os trabalhos ainda  na manhã desta segunda-feira, 3.

Um dos sobreviventes, Sr. Givaldo Pereira dos Santos, 46 anos, residente no Bairro do Polivalente em Xique-Xique, informou que todos  foram pescar, mas como chovia e ventava forte, a embarcação adernou,  indo para o fundo do rio,  quando quatro dos seus companheiros  desapareceram imersos  nas águas.

Pereira informou, ainda, que além dele outro ocupante do barco, Ranieri Santos de Souza, 22 anos, também sobreviveu ao naufrágio.

Os desaparecidos são Mário Jorge dos Santos Matos, 52 anos; Jebson Luiz dos Santos, 29 anos; Washington Bispo dos Santos e Bartolomeu Mariano Bento, 42 anos.

Leia Mais

SANTO DO PAU OCO

domingo, 2 de dezembro de 2018



A expressão vem do Brasil colonial, quando os impostos sobre o ouro e demais pedras preciosas eram muito altos. Então, para enganar a coroa portuguesa, os mineradores escondiam parte de suas riquezas em santos que tinha abertura na madeira e o fundo oco.

Desta forma, eles podiam passar pelas Casas de Fundição sem pagar impostos abusivos, já que ninguém dava importância ao santo que estava sendo transportado.

Por causa disso, a expressão “santo do pau oco” virou no Brasil sinônimo de falsidade e de hipocrisia.

Mas para início desta conversa, uns anos atrás, impregnado do pensamento iluminista, resolvi que deveria conhecer a cidade mais árcade do Brasil. E lá fui eu para Ouro Preto, a fim de visitar as  igrejas e  museus, percorrer as ruelas,  os becos, conviver com fantasmas do século XVIII.

Em Ouro Preto que se chamava Vila Rica no período áureo do ouro, muita gente fazia contrabando para passar a perna em dona Maria I, Rainha de Portugal, louquinha pelo vil metal. Bem, pelo menos comenta-se que Dona Maria era louca de qualquer jeito. Mesmo antes, no tempo de seu pai, o rei D. José I, isso já vinha acontecendo.

Entretanto, em assuntos religiosos, os agentes da alfândega de Sua Alteza a Rainha Maria, a Louca de Portugal, Brasil e Algarves,   não interferiam.

Acontece que ninguém entendia as razões daquela fé fervorosa de enviarem tantos santos para Portugal. Saíam daqui do Brasil, do porto de Parati na Província  do Rio de Janeiro, navios carregados de santos e a rainha tinha ataques do mais puro prazer ao ver chegarem tantos santos à terrinha. 

O Fernando Pessoa, súdito da Maria I,  que só viria a aparecer nos alvores do século XX, também andou falando da loucura que, sem ela o homem não passa de “besta sadia”. Mas isso veio bem depois. Por enquanto, fiquemos com a dona Maria, louca pelo metal nobre extraído das minas de  Minas Gerais.

Mas, para o fim desta conversa  sobre os santos de pau oco, urge historiar que um dia os lusitanos hereges desconfiaram da tamanha religiosidade dos mineiros e resolveram abrir um santo antes que chegasse ao destino. No oco do santo, só dava ouro.


Descoberta a maracutaia,  abriram processo semelhante aos que se abrem no  Lava Jato.  Pegaram e  condenaram à morte apenas um contrabandista anti-lusitano alcunhado de Tiradentes,  já  os delatores... (aí são outros quintos).




Lembrei-me desta história ao acompanhar, mesmo que de longe e passivamente, o que vem ocorrendo em nosso país. Quanto santo do pau oco está sendo nos empurrado goela abaixo. E o pior é que grande parte da população se ajoelha e reza pelos   santos ocos, alguns ministros do Capitão Messias, sem imaginar o que eles trazem por dentro.

Leia Mais

UM DÍGITO DE PROSA ELETRÔNICA


Indubitavelmente o mundo passa por uma revolução nas relações humanas. Após o advento da internet, nasceu um novo mundo, virtual e até de fake news, a arrebatar as pessoas a terem contato imaginário, mentalizado, com outras de todos os cantos e recantos do planeta.

É possível ter amigos de fato para o que der e vier, mesmo que não tenhamos contato presencial. Isso parece ser de menor importância para um grupo que vive virtualmente. Confesso que resisti por muito tempo até a usar o telefone móvel, cognominado celular, gostava de fazer minhas visitas na condição de testemunha ocular. Mas fui compelido a usar o celular, até para aproveitar e aplicar a mim mesmo a teoria sociológica de Gabriel Tarde.

Vejam, senhores e senhoras, o pensador francês já preconizava, em meados do Século XIX, que a multidão é organizada pelas opiniões comuns através dos meios de comunicação e mesmo não havendo contato físico entre si carrega a potencialidade de se organizar e exercer formas de poder. Tudo isto no âmbito da sociologia pensada pelo feliz conterrâneo de Brigitte Bardot e Catherine Deneuve e porque não dizer, de Charles De Gaulle e do craque Mbappé do Paris Saint Germain,

Foi assim que a vulgarização, com nuanças de aviltamento, dos computadores aconteceu, derivando na criação de redes sociais e WhatsApp havendo mudança significativa para um grupo que buscava ser ouvido, ser visto e tocado.

Se antes o bate-papo e as mensagens se resumiam às salas de portais, quiçá nos bancos das pracinhas de algumas cidades, hoje quem tem computador passeia pela rede de conversas teclando com gente daqui, d’alhures, d’outras plagas e d’além mar.

Há, contudo, um mundo preto e branco, fora da vida virtual. Em frente aos nossos olhos existem seres humanos de contato autêntico e todo mundo sabe disto.

Não tenho preconceito contra bordões. Uso-os frequentemente, sem cometer nenhuma heresia. Por isto vou repetir que este mundo virtual não é nada e não será coisíssima nenhuma sem o contato real, verdadeiro, efetivo, pele com pele, para quem anda em busca de alguma busca
Leia Mais

JUSTIÇA PROIBE ABATE DE JUMENTOS NA BAHIA

sábado, 1 de dezembro de 2018


 
A Bahia foi proibida pela Justiça Federal de abater jumentos, em decisão liminar (provisória) concedida na sexta-feira (30) pela juíza Arali Maciel Duarte, da 1ª Vara Federal, em Salvador.

A proibição ocorre após casos de maus-tratos registrados pelo Governo da Bahia (Polícia Civil e Agência de Defesa Agropecuária da Bahia - Adab), com centenas de animais mortos de fome e sede em Itapetinga e Itororó, no Sudoeste baiano.

Em Itapetinga está um dos três frigoríficos do estado autorizados pelo Ministério da Agricultura a abater jumentos – os outros ficam em Amargosa e Simões Filho. A Bahia é o único estado do Brasil com frigoríficos autorizados a realizar o abate de jumentos.

Segundo o Governo da Bahia, estão sendo abatidos no estado entre 300 a 400 jumentos por semana. Pela decisão, publicada neste sábado (1º) no Diário Eletrônico da Justiça, os abates devem ser paralisados em 10 dias, a contar da notificação, que deve ocorrer na segunda-feira (3).

A Bahia, segundo a Adab, tem plantel de 96 mil jumentos, mas estima-se que a quantidade de animais, incluindo os soltos, chegue a 200 mil. No Nordeste, a projeção é de 800 mil jumentos.

Os animais são capturados em estradas do Nordeste ou comprados por até R$ 30 e levados para o abate. Em seguida, a carne, a pele o couro são exportados para a China depois de passarem por Hong Kong e Vietnã.

Na China se extrai da pele e couro do animal uma substância usada para fazer o ejiao, remédio que promete combater o envelhecimento, aumentar a libido nas mulheres e reduzir doenças do órgão reprodutor feminino.

Dados do Ministério da Agricultura apontam que a Bahia exportou para o Vietnã 1,28 mil toneladas de carne e couro de “cavalos, asininos e muares”, a US$ 2,5 milhões (R$ 9,7 milhões), neste ano. Para Hong Kong, foram 24,4 toneladas, por US$ 36.814 (R$ 142.282,43).

Os abates ocorrem em Itapetinga desde agosto no Frigorífico Sudoeste, que possui contrato com a empresa chinesa Cuifeng Lin para realizar o serviço. Em agosto, a empresa foi multada em mais de R$ 30 mil por causa dos maus-tratos.
Leia Mais

MUNICIPIOS BAIANOS SOB TENSÃO



Tribunal de Contas da União determina corte de verbas federais para 52 cidades baianas

Uma portaria publicada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) pode reduzir repasses federais para 52 cidades baianas a partir de janeiro de 2019. 

A medida altera o tamanho da fatia que cada uma delas tem no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de receita das médias e pequenas cidades, com base na recente estimativa populacional divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Em todo o Brasil, 135 municípios tiveram o número de moradores reduzido pelo IBGE e estão ameaçados de receber menor quantidade dinheiro no ano que vem.

Na Bahia, 55 cidades integravam a  lista de corte, mas três judicializaram o caso e conseguiram decisões favoráveis. São elas: Amargosa, Heliópolis e Adustina. O TCU é o órgão responsável por definir os coeficientes do Fundo de Participação dos Municipios.


 SOB TENSÃO 

.As cidades ameaçadas de perder recursos depositam esperança na aprovação, pelo Congresso, de um projeto de lei que pode suspender a redução de receita. O Senado marcou para a próxima terça-feira a análise da proposta que congela o coeficiente do FPM até que o IBGE realize um novo Censo, previsto para 2020.

Com a iminente queda de receita nas cidades, o presidente da União dos  Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), pediu ao presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), que vote o projeto. “A expectativa é ótima, pois prefeitos cobram seus deputados e senadores”, disse.


Com informações do Correio da Bahia
Leia Mais