Pesquisar este blog




Copa gera 1 milhão de empregos e pode injetar R$ 30 bilhões na economia brasileira

sábado, 21 de junho de 2014

“Os números estão superando as expectativas”, disse o presidente da Embratur, Vicente Neto; na avaliação dele, a expectativa da Embratur é de que a realização de grandes eventos, como a Copa, ajudem a projetar o Brasil como destino turístico de destaque no cenário internacional, impulsionando a geração de emprego e renda no país. 

Ao contrário dos que queriam o caos, a baderna e até pagaram gente para fazer isso, como os mascarados, a Copa está sendo um evento perfeito, além de gerar mais de 1 milhão de empregos,  trouxe e vai trazer  para os brasileiros muitos dólares. 30 bilhões de reais serão injetados inicialmente na economia e mais de 14 bilhões de reais em arrecadação de tributos. O governo investiu nos estádios, juntamente com a inciativa privada pouco mais de 8 bilhões de reais. Foram ações acertadas tais como o programa Mais Médicos, estrutura nas cidades e estádios que ficarão para os brasileiros. 

Os adeptos do "quanto pior melhor" podem falar, podem protestar, espernear, mas não voltaremos ao passado, com desemprego em massa, com FMI mandando na economia, com inflação mais de 45% ao mês, Não haverá venda das estatais e concentração da renda nas mãos de meia dúzia de espertos que exploram a mão de obra de milhões de brasileiros. Portanto é Dilma de novo para o bem do povo.

É de se observar que os dados fazem parte de um levantamento feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a pedido do Ministério do Turismo. O estudo tem como parâmetro uma comparação entre a projeção dos impactos gerados pela Copa do Mundo e as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Durante visita ao Centro Aberto de Mídia João Saldanha, no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, o presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Vicente Neto, avaliou o resultado da pesquisa. Para ele, trata-se de um número “extremamente significativo que nós estamos comemorando neste momento. É um legado humano extraordinário”, disse.

Segundo o levantamento, do total de vagas relacionadas à Copa, 710 mil são fixas e 200 mil são temporárias (todos com carteira assinada). Só na cadeia do turismo, foram gerados 50 mil novos empregos em função do evento esportivo.

Vicente Neto ressaltou, durante a entrevista, a taxa de ocupação da rede hoteleira nas 12 cidades-sede na primeira semana do Mundial, que ficou 45% acima do esperado, de acordo com autoridades do setor. Até o dia 11 de junho, foram registradas 340 mil diárias, 100 mil a mais que o previsto pelo Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil. “Os números estão superando as expectativas”, disse o presidente da Embratur.

Na avaliação de Vicente Neto, a expectativa da Embratur é de que a realização de grandes eventos, como a Copa, ajudem a projetar o Brasil como destino turístico de destaque no cenário internacional, impulsionando a geração de emprego e renda no país.

O presidente da Embratur lembrou que o Brasil tem se destacado no cenário mundial de realização de eventos e subiu dez posições no ranking da International Congress and Convention Association (ICCA) de 2003 a 2013, ao saltar da 19ª para a 9ª posição entre os países do mundo que mais recebem congressos e convenções associativas.

“O total de eventos realizados no Brasil neste período saltou de 62 para 315, e o número de cidades que sediaram esses encontros aumentou de 22 para 54. Essa evolução é resultado da política de descentralização na captação de eventos internacionais”.
Dilma fará uma campanha de esperança  para vencer o ódio.


Agência Brasil

0 comentários:

Postar um comentário