Pesquisar este blog




Festa do 2 de Julho em Salvador é desfile de políticos

segunda-feira, 30 de junho de 2014



A campanha política para governador do Estado da Bahia começa efetivamente nesta quarta-feira no tradicional desfile do 2 de julho, que tem forte apelo entre os soteropolitanos, haja vista que o evento marca os 191 anos de uma das mais importantes datas da história da Bahia e do Brasil.

Após as convenções estaduais e definidos os nomes que vão disputar as eleições,  o cortejo do 2 de julho será uma espécie de apresentação ao público dos candidatos, na primeira manifestação de rua que, em ano eleitoral, passa a ter forte caráter político/eleitoral.

O governador Jaques Wagner sairá na frente no cortejo, colocando em evidência o candidato Rui Costa, que é praticamente desconhecido em Salvador. Aliás, a chapa da situação tem forte apelo no interior do Estado, onde os candidatos a vice, João Leão, e ao senado, Otto Alencar, são políticos conhecidos, mas para o eleitor soteropolitano são completamente desconhecidos. Embora Salvador tenha menos de 20% do eleitorado, é fundamental para o governo tornar seu candidato conhecido e vincular as obras que vem fazendo na cidade ao candidato.

Paulo Souto, do DEM, não tem esse problema e é conhecido pela maioria dos soteropolitanos, mas o cortejo do 2 de julho é fundamental para aferir a aceitação da sua candidatura nas ruas da cidade, especialmente por conta do  baixo número de votos que teve na última eleição para governador no confronto com Jaques Wagner e depois para tentar vincular sua imagem ao Prefeito ACM Neto que, obviamente,  garantiu participação no evento.

A candidata do PSB, a senadora Lídice da Mata, também tem enorme interesse em desfilar no 2 de julho. Primeira prefeita mulher a governar a capital baiana, Lídice pretende lembrar aos eleitores, especialmente aos mais jovens, sua passagem pela Prefeitura de Salvador e sua luta contra todo o tipo de corrupção e autoritarismo.

Lídice precisa mostrar que é uma terceira via viável entre Costa e Souto. Os demais candidatos também vão desfilar buscando tornarem-se conhecidos da população.

Como se não bastasse tudo isso, o 2 de julho também servirá para medir a popularidade de Jaques Wagner e ACM Neto e ninguém pensa em chorar no pé do caboclo.


Bahia Econômica

1 comentários:

Anônimo disse...

O responsável por isto é o governo Dilma e Lula que não levantaram uma palha para salvar o rio. Pergunte ao bispo Dom Luis Capio?

1/7/14 21:42

Postar um comentário