Pesquisar este blog




Mídia alimenta “complexo de vira-lata” nos brasileiros

quinta-feira, 10 de julho de 2014



“Sem dúvida, a grande mídia tem perdido credibilidade. Uma das formas de sobrevivência dela é falar cada vez mais para menos gente, para seu público cativo”, disparou o jornalista e sociólogo Venício Lima ao participar do programa Espaço Público, da TV Brasil.

Venício fez críticas aos grandes veículos de mídia brasileiros e a postura assumida pelo mesmos diante da Copa. Para ele, a chamada “grande mídia” tentou pautar a imprensa internacional, prevendo um fracasso da organização brasileira na Copa do Mundo, que não se confirmou.

E ponderou que “a chegada ao país de tantos jornalistas estrangeiros, em contato direto com realidade, fez com que houvesse uma mudança da cobertura sobre o que ocorria aqui. A mídia estrangeira teve que se curvar à realidade, onde tudo estava funcionando. A mídia brasileira se distanciou, como se não tivesse nada a ver com isso, mas influenciou a cobertura estrangeira [quando dizia que a Copa seria um fracasso]”.

Venício Lima ainda colocou que a “grande mídia” tentou pautar as manifestações de 2013, mas não obteve êxito, tendo sido, inclusive, hostilizada nos protestos. Isso seria uma mostra da perda de credibilidade da mídia brasileira. 


Para o sociólogo o famoso “complexo de vira-lata” do brasileiro é alimentado pelos grandes grupos de mídia nacionais. Sobre o problema da autoestima brasileira, observou que "a grande mídia tem culpa no cartório, porque colabora com essa síndrome do fracasso. O futebol é bom exemplo disso. Na Copa, se você não é campeão, você é um desastre”.

Ele disse ainda que não acredita que o desempenho do time brasileiro na Copa do Mundo exercerá influência negativa para a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição. “O Brasil tem níveis de educação e renda que possibilitam uma percepção mais aguçada do que ocorre no cenário político. Acho improvável que a derrota no futebol tenha influência determinante no resultado eleitoral”.

Com informações de Espaço Público

0 comentários:

Postar um comentário