Pesquisar este blog




Nem só de seca vive o Semiárido

domingo, 27 de julho de 2014


                                                              Semiárido recebe incentivos federais
Enfrentando a maior seca dos últimos anos que afeta os produtores da região do semiárido, a presidente Dilma lembrou ao povo sertanejo que o governo está  investindo  cerca de R$ 33 bilhões em segurança hídrica, a exemplo de projetos de desenvolvimento para a região sem esquecer, também, da construção de cisternas que podem chegar a 750 mil unidades até o fim deste ano. “Fazemos uma espécie de distribuição de renda da água”, afirmou a presidente.
A construção de cisternas vem a ser uma das ações do Programa Água Para Todos

Além de cisternas para uso doméstico o programa desenvolve também cisternas de produção com capacidade de 250 mil litros de água, viabilizando, ainda, a instalação de reservatórios em escolas. 
No mesmo prisma, está em vigor o Plano Safra do Semiárido, lançado em maio deste ano, cujo objetivo é beneficiar  agricultores familiares e produtores rurais do semiárido nordestino que enfrentam uma das piores secas dos últimos 50 anos que  deixa 1297 cidades da região em estado de emergência.

A principal medida do Plano Safra será a suspensão das dívidas dos produtores da região até o fim do ano que vem. Também será concedido desconto de até 85% para a liquidação de operações de crédito contratadas até 2006 com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) ou do Tesouro Nacional.

O Plano Safra terá, ainda, medidas de estímulo à construção de silos para armazenagem de alimentos para que os pecuaristas possam alimentar seus rebanhos na época da seca. Atualmente, a escassez de milho, principal alimento dos animais, leva o governo a buscar o grão em outros estados e até a importar de países vizinhos, com um alto custo de deslocamento.

Os municípios do semiárido ou em situação de emergência por causa da seca receberam a retroescavadeira, a motoniveladora e o caminhão-caçamba e que já foram entregues 1.431 caminhões-pipa e 960 pás-carregadeiras. O valor de mercado do kit com as três máquinas está em torno de R$ 1 milhão e, com as cinco máquinas para o semiárido, em R$ 1,4 milhão.
Na Bahia a Presidente Dilma já entregou, desde março, 130 retroescavadeiras e 191 motoniveladoras para a construção de barragens e estradas e 250 ônibus escolares. No total, 287 municípios baianos foram contemplados com as máquinas e os veículos.

Com o Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015, o governo Dilma rompeu com a armadilha da seca porque passou a olhar o semiárido como uma região produtiva que pode e será sustentável. Para isso o governo federal trabalha com afinco e vence todos as batalhas enfrentadas no campo político e social. 


Fonte: Portal Brasil


.

 
.  

0 comentários:

Postar um comentário