Pesquisar este blog




O que é ser de esquerda?

segunda-feira, 7 de julho de 2014



Algumas pessoas cometem um grande erro ao responder a essa pergunta – geralmente são os indivíduos que não aceitam a proposta da esquerda sem procurar ao menos entendê-la, ou seguem uma ideologia sem olhar para os lados, deixando o lado emocional falar mais que a razão. Para esclarecer essa questão, consideremos antes algumas palavras clássicas para melhor compreensão: socialismo (sistema que promove o bem comum, sociedade justa e sem exploração), capitalismo (sistema econômico e social baseado na sociedade privada, visando ao lucro) e direita (sistema político reacionário e conservador).

O indivíduo que se enquadra na esquerda da sociedade defende um governo que seja de fato justo; que sua administração seja para todos, ricos ou pobres; que a justiça funcione sem medir a classe social das pessoas; que a riqueza produzida seja distribuída com igualdade; que o cidadão trabalhe sem ser explorado pelo seu patrão, etc. – ou seja, esse indivíduo de esquerda defende o socialismo. Há algum mal você repudiar as injustiças? É óbvio que a população quer viver numa sociedade justa em todos seus aspectos. 

Que mal a pessoa está praticando quando elabora uma grande ideia e a executa a favor da coletividade, querendo que todos se beneficiem da criação – não apenas o criador? Como seria bom se as informações, os medicamentos especiais e o uso de aparelhos médicos de altíssima tecnologia fossem fornecidos a um preço acessível ou até mesmo de graça à população. 

O ideal de igualdade, de coletivo está presente na esquerda, sendo que ninguém pode negar que isso seja prejudicial aos outros. Estamos cientes de que o nosso atual sistema econômico e social está focado no lucro, na sociedade privada, num sistema de competição desumano, onde vence quem tem mais poder, centralizando as riquezas e o domínio e, consequentemente, gerando a desigualdade social que castiga grande parcela da população.

Infelizmente os ousados que buscam defender e divulgar uma forma justa de governar são insultados com a ingratidão de críticas sem fundamento, de argumentos que vão contra o bem-estar social  e defendem o sistema econômico atual, sendo que esse gera de fato sofrimento para a maioria dos habitantes; basta olhar a situação dos moradores de rua e de locais impróprios, das pessoas que passam fome, da precariedade dos hospitais públicos, da falta de emprego, falta de moradia, dos catadores dos lixões, das crianças desnutridas no continente africano, do baixíssimo número de jovens em universidades públicas etc. 

E, diante dessa real situação que vivemos, quando surgem cidadãos, de esquerda – que buscam reverter o quadro, sabendo da complexidade do problema, mas mesmo assim não desistem de seus ideais – eles são julgados como se estivessem fazendo algo errado. Mas onde está esse erro, quando você quer ir além de ficar tapando buracos, mas sim transformar a atual estrutura social?

Essa grandiosa atitude humanitária merece mais apoio e respeito devido a seu objetivo de promover o bem comum. Suas ideias e ambições não são particulares, mas sim democráticas. A sociedade deveria refletir muito mais sobre a esquerda, ter curiosidade em conhecer sua proposta, suas ideias e objetivos, e, a partir, daí chegar a uma conclusão do que realmente a população necessita para obter melhores condições de vida.

A verdade

1 comentários:

Anônimo disse...

Caro Nilson,

Veja esta informação, da uma boa matéria.
Entre os nome está a do ex-prefeito Reinado Braga Filho.

http://www.bocaonews.com.br/noticias/politica/eleicoes/90799,presidente-do-tcm-entrega-ao-tre-lista-de-gestores-com-contas-rejeitadas.html

Um abraço.

Gal

7/7/14 18:36

Postar um comentário