Pesquisar este blog




Eduardo Campos candidato a presidente da república morre em acidente aéreo

quarta-feira, 13 de agosto de 2014



O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, morreu hoje (13) em um acidente de avião em Santos, no litoral paulista. A aeronave modelo Cessna 560 XL Citacion, prefixo PR-AFA, caiu por volta das 10h depois de arremeter na primeira tentativa de pouso. Todos os cinco passageiros e dois tripulantes morreram, entre eles o fotógrafo oficial da campanha e o assessor de imprensa de Campos. A candidata a vice na chapa de Campos, Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, não estava a bordo.

O Comando da Aeronáutica informou em nota que a aeronave decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). De acordo com a Infraero, a aeronave deixou solo carioca às 9h21. Quando se preparava para pouso, no litoral paulista, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o piloto. A Aeronáutica já iniciou investigações para apurar as causas do acidente.
Cessna 560XL: avião que caiu em Santos (SP) hoje levava candidato Eduardo Campos (PSB)

A presidenta Dilma Rousseff deve fazer um pronunciamento oficial ainda hoje. Ela cancelou a entrevista marcada para hoje a noite no Jornal Nacional e na Globo News.

Eduardo Campos nasceu em Recife, em 10 de agosto de 1965. Era filho do poeta e cronista Maximiano Campos e neto do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, cassado durante o golpe de estado de 1964. Curiosamente, Campos morre na mesma data que seu avô, 13 de agosto, com uma diferença de nove anos.

O presidenciável filiou-se ao PSB em 1990. Foi deputado federal por Pernambuco por três mandatos consecutivos, entre 1999 e 2007. Em 2004, foi nomeado ministro da Ciência e Tecnologia no primeiro governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006).

Foi governador de Pernambuco por dois mandatos, entre 2007 e 2014, com apoio de Lula. Foi reeleito com 80% dos votos em 2010. Rompeu a aliança com o PT e deixou a base de apoio do governo para disputar a Presidência da República, tendo como vice a ex-senadora Marina Silva, da Rede Sustentabilidade.


0 comentários:

Postar um comentário