Assessor de Aécio diz que está feliz com desemprego e salários baixos do povo brasileiro

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Jornalista Fernando Brito, do blog Tijolaço, destaca trecho de uma fala do professor Samuel Pessoa, da Fundação Getúlio Vargas, que já atuou como um dos principais assessores econômicos de Aécio Neves, e comenta: "Dizer que 'está feliz' com a queda do nível de emprego e com a redução dos valores dos salários, num país pobre como o Brasil, é algo completamente desumano"; assista
 

 
O professor Samuel Pessoa, da Fundação Getulio Vargas, pode ter todos os méritos acadêmicos.

Tem  também o direito de ter atuado como um dos principais assessores econômicos de Aécio Neves, um dos “cabeças” aecistas.

Mas o professor Pessoa há de nos dar o direito de considerar monstruoso o que ele diz em um debate do Instituto Insper, baluarte do pensamento conservador.

Mas ele dizer que “está feliz” com a queda do nível de emprego e com a redução dos valores dos salários, num país pobre como o Brasil é algo completamente desumano.

Muito mais em alguém comprometido com o conhecimento, com a ciência que, quando não se importa com o sofrimento humano, torna-se abominável.

Reproduzo  ao fim do post  a cena deplorável  num trecho editado do vídeo, que pode ser conferido aqui, na íntegra, com mais de uma hora de duração.

Por sorte, o economista Luiz Gonzaga Beluzzo, presente ao debate, não deixou que isso passasse em branco.

Mas é deprimente ver o ponto a que o credo neoliberal, “mercadista”, é capaz de levar pessoas que têm toda a capacidade de compreender o que venham a ser humanidade ou, pelo menos, compaixão com os que sofrem.

Modestamente, lembro ao professor que Economia é uma ciência humana e, portanto, não um fenômeno natural, previamente determinado.

É bom que todos, porém, vejam o que a adoração do bezerro de ouro do mercado é capaz de fazer até com uma mente preparada e com todas as condições de não se tornar cínica.

O pior é que o Professor Pessoa tem consciência do mal.

E fica feliz com ele.
 


Fonte: Tijolaço

0 comentários:

Postar um comentário