A MISÉRIA HUMANA

domingo, 29 de novembro de 2015



Um dos dois senadores do PT (também Paulo Paim-PT-RS) que votaram pela manutenção da prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS) foi o baiano Walter Pinheiro, cujas apostas dão como certa sua saída do partido muito em breve. Pinheiro (PT-BA) era uma das pessoas mais próximas a Amaral no Senado. 
 
Nessas condições, Delcídio perguntou a assessores como "Waltinho" votou. Ao ser informado do voto de Pinheiro, balançou a cabeça e  se calou.

Na noite anterior à sua prisão, Delcídio jantou em Brasília com Walter Pinheiro.  

Familiares e assessores de Delcídio demonstram mágoa pelo fato de senadores que sempre pediram favores ao líder do governo de ajuda para marcar audiência em ministérios a cargos para aliados agora virarem as costas para ele.

Eis, pois, a miséria humana. A traição sem limites, notadamente entre políticos.

Diria William Shakespeare: "O Demônio não soube o que fez quando criou o homem político; enganou-se, por isso, a si próprio."

1 comentários:

Anônimo disse...

Que todos os políticos corruptos como ele terminem sua vida na cadeia!

30/11/15 13:05

Postar um comentário