Empresa causadora da tragédia mineira diz que não vai pedir desculpas pelo crime cometido

terça-feira, 17 de novembro de 2015



 
Responsável pelo maior desastre ambiental da história do País, que deixou 11 mortos e 12 desaparecidos, além de contaminar o Rio Doce, um dos mais importantes de Minas, a Samarco, mineradora controlada pela Vale e pela BHP, não se sente culpada.
Pelo menos, foi o que disse seu diretor de Operações e Infraestrutura, Kleber Terra. Nesta terça, ele afirmou que "não é o caso de pedir desculpas à população" e também que "ainda não é hora de discutir os efeitos de médio e longo prazo" do rompimento da barragem de Fundão, que devastou o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG).
"Estamos muito solidários e sofridos com tudo o que aconteceu. Operamos com técnicas de monitoramento de barragens que são referência, portanto, não podemos dizer que a tragédia poderia ter sido evitada", disse Terra. Ele afirmou ainda que a empresa "não está poupando recursos" para investigar as causas do rompimento.
Sua posição, de certa maneira, já antecipa a defesa da mineradora, que além das indenizações bilionárias que terá de pagar, poderá ter executivos responsabilizados criminalmente. Nesta terça-feira, a Polícia Federal anunciou que entrará no caso para apurar quem são os responsáveis pela tragédia.
 

 
 

0 comentários:

Postar um comentário