Pesquisar este blog




Golpista diz que grupo está armado e se recusa a sair de acampamento em frente ao Congresso Nacional

sexta-feira, 20 de novembro de 2015


 
Os manifestantes anti-Dilma que estão acampados no gramado em frente ao Congresso Nacional prometem não sair do local no prazo de 48 horas, definido após uma reunião entre o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), e os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), nesta quinta-feira 19.

De acordo com um dos coordenadores de um grupo chamado 'Movimento Patriota', Felipe Porto, vários dos integrantes do "Acampamento Patriota" estão armados e não pensam em deixar o local.

"Vocês acham que alguém aqui tem medo? Vi gente daqui ligando para a família e dizendo que não sabe se volta. Aqui tem patriota, é sangue verde-amarelo. Tem gente disposta a morrer pelo Brasil", disse. "Do lado de cá tem arma sim. Barraca é casa. E se alguém invadir, tenho direito de defender a propriedade", assegurou, segundo reportagem do Globo.

Segundo ele, entre os membros do movimento que representa – que defende uma "intervenção popular" capaz de sitiar os três poderes, para que as "forças legalistas", como forças armadas e polícias militares, montem um governo provisório e convoquem novas eleições, com cédulas em papel, sem o uso da urna eletrônica – estão militares, colecionadores de armas, ex-policiais e ex-militares, que possuem o direito de portar armas de fogo.

Porto disse, ainda, que o Acampamento Patriota está instalado bem em frente a um outro acampamento, este ligado a CUT, o que tem gerado "um cenário de guerra" entre eles. "O cenário de guerra está armado. Pode acontecer uma carnificina", destacou.
 
Brasilia 247

 

0 comentários:

Postar um comentário