Policiais e limpeza urbana de Brasilia retiram golpistas do gramado em frente ao Congresso

domingo, 22 de novembro de 2015

A policia legislativa, com cerca de 50 policiais, retirou os golpistas que estavam acampados no gramado em frente ao Congresso Nacional.

Os golpistas se sentaram no gramado, em protesto, mas tiveram barracas, colchões, alimentos e outros objetos retirados, com a ajuda do Serviço de Limpeza Urbana do GDF.

A ação foi pacífica. Entretanto, um grupo se acorrentou ao redor de um boneco inflável representando um militar.

Na parte mais acima, onde ficaram os membros do "Resistência Popular", a Polícia Militar, com aproximadamente 40 homens, fez um cordão de choque e se aproximaram. Os próprios manifestantes desmontaram as barracas.


Nos vídeos divulgados pela PM, é possível ver que não houve confronto físico, mas os acampados saem sob protesto verbal, alguns deles diziam palavras de ordem como "comunistas" e "bolivarianos" para os policiais.


O prazo para desocupação, de 48 horas, tinha sido dado na quinta-feira pelo governo do Distrito Federal e pelos comandos da Câmara e do Senado. Na quinta-feira, um dos líderes dos intervencionistas disse que havia armas no local, que eles não sairiam e que ocorreria uma carnificina se a polícia usasse a força.


A PM estava a postos e o pelotão do Bope poderia ser acionado a qualquer momento.

Os manifestantes discursavam nos megafones. Antes de ser  retirados, os golpistas fizeram uma corrente ao redor de um boneco inflável que representava o general Hamilton Mourão, que fez críticas à presidente Dilma Rousseff.

Ao deixar o local os golpistas gritaram que “na guerra é preciso recuar para avançar”.

O Hospital Psiquiátrico do DF esteve de prontidão para receber os tais manifestantes que aspiram a derrubada do governo e a volta da ditadura militar.

0 comentários:

Postar um comentário