VEJA SÓ

sábado, 7 de novembro de 2015


 
A revista Veja demitiu nesta sexta-feira (6) a apresentadora do seu canal de vídeos (a TVeja), Joice Hasselmann. Esta é a terceira demissão de comentaristas e blogueiros direitistas só neste semestre. Antes dela, os blogueiros Rodrigo Constantino e Ricardo Setti já haviam sido desligados. Mais recentemente, Caio Blinder, colunista do site em Nova York, foi também despachado.

Joice foi denunciada por 65 plágios de veículos como Gazeta do Povo, Bem Paraná e G1 pelo Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Paraná (Sindijor-PR), que comprovou a cópia dos conteúdos. Ela tinha amplo espaço no canal de vídeos, mas vinha perdendo espaço desde a denúncia.                 

Rodrigo Constantino é um entre vários discípulos do ultraconservador Olavo de Carvalho que foram colocados no site da revista nos últimos tempos. Sua demissão não sinaliza uma mudança na linha editorial de direita da Veja. Confirma, apenas, que as coisas estão realmente ruins para a Abril. Pouco tempo atrás, a Veja não conseguiu segurar um de seus mais conhecidos jornalistas, Lauro Jardim, da seção Radar. Lauro foi para O Globo.

Pouco depois de sair da revista, Constantino atacou a publicação Ele não gostou de ler em Veja um editoral contra mudanças no Estatuto do Desarmamento. Então, ele disse que a revista aderiu “a teses da esquerda” e terá “morte horrível”.

É óbvio que a Veja não chegou nem perto de qualquer tese da esquerda. Mas em uma coisa o Constantino pode ter razão: a publicação caminha para uma "morte horrível".

2015 tem sido um ano particularmente difícil para a publicação. Suas versões regionais de Belo Horizonte e de Brasília foram canceladas. No primeiro semestre, foram 49 demissões (lembre aqui). 

O encolhimento de Veja é a última etapa do enfraquecimento da Editora Abril, que já teve metade do seu imponente prédio devolvido, várias revistas descontinuadas e seu braço educacional, a Abril Educação, vendido

0 comentários:

Postar um comentário