Juiza Federal do Rio Grande do Sul, irmã da modelo Gisele Bundchen, indeferiu pedido contra posse de Lula

quinta-feira, 17 de março de 2016



Antes da Justiça Federal de Brasília suspender a nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil, a Justiça Federal do Rio Grande do Sul havia indeferido um pedido de ação popular para proibir a nomeação do ex-presidente ao cargo.
De acordo com o 'G1', a decisão foi liberada ainda na noite de quarta-feira (16) e foi assinada pela irmã da modelo Gisele Bündchen, a juíza Graziela Bündchen, da 1ª Vara Federal de Porto Alegre. 

O autor da ação na Justiça afirmou que a decisão de fazer o pedido surgiu após ver a confirmação de que Lula seria nomeado como ministro pela presidente Dilma. O autor defendeu ainda que, como ministro, Lula poderia "manipular ou mesmo destruir provas incriminadoras ainda não alcançadas pelas autoridades da investigação da operação 'Lava-Jato', dificultando ou frustrando a aplicação da lei penal".

Na sentença, a juíza afirma que "há que se reconhecer que a matéria que eventualmente envolva a manipulação ou mesmo destruição de provas incriminadoras ainda não alcançadas pelas autoridades da investigação da operação 'Lava-Jato', dificultando ou frustrando a aplicação da lei penal, é de competência do juízo criminal, não cabendo ser tratada no âmbito da ação popular". Ao indeferir o pedido, a juíza extinguiu o processo sem resolução do mérito. 

0 comentários:

Postar um comentário