Sem mi mi mi, vamos colocar os pontos nos is

sábado, 12 de março de 2016


O pedido de prisão formulado por três procuradores do Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente Lula parte de uma premissa falsa: a de que ele seria dono de um imóvel meia-boca no Guarujá (SP); no entanto, se Lula fosse preso por algo que poderia ter sido dele, mas comprovadamente não é, qual seria o destino do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, cuja ex-amante, Mírian Dutra, ex-repórter da Globo, o acusa de ter dois imóveis de altíssimo luxo, em Paris e Nova York, registrados em nome de um laranja? Coincidência ou não, os incendiários da política e da mídia subitamente se transformaram em bombeiros e passaram a defender prudência; imóveis atribuídos a FHC valem 50 vezes mais do que o que não pertence a Lula


Por mais hipócritas que sejam a sociedade brasileira e alguns dos seus meios de comunicação, a eventual prisão do ex-presidente Lula, acusado de ocultar um bem que não é dele, criaria um problema sério para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o político que inspirou o ator José de Abreu na criação do seu "chefe da facção".

Lula poderia ter sido dono de um imóvel no Guarujá. Possuía o direito de adquiri-lo e tinha a cota declarada em seu Imposto de Renda. Além disso, chegou a visitar o empreendimento, o que é absolutamente natural para um eventual futuro proprietário. 

No entanto, quando a Globo decidiu criminalizar o "tríplex de Lula", que é visivelmente um apartamento meia-boca, Lula e Dona Marisa desistiram de ficar com o apartamento, hoje registrado em cartório, que tem fé pública, em nome da OAS. Portanto, o imóvel pertence à construtora e pode ser comprado por qualquer interessado.

Apesar disso, três procuradores de São Paulo decidiram ontem pedir a prisão preventiva do ex-presidente Lula. Na ação, eles acusam Lula de ocultar um imóvel que, de novo, segundo um cartório, com fé pública, não lhe pertence.

Na desastrada coletiva, o procurador que lidera essa iniciativa, chamado Cássio Conserino, admitiu não ter provas de que Lula é dono do imóvel. E ele, que esperava aplausos triunfantes, recebeu críticas de juristas, advogados e de praticamente todos os colunistas da chamada "imprensa golpista".

O caso FHC
Não se sabe de onde partiu a ordem de comando para que nomes como Merval Pereira, Ricardo Noblat e Eliane Cantanhêde, entre outros, criticassem a ação atabalhoada do Ministério Público paulista.

Mas o fato é que a eventual prisão de Lula criaria um sério problema para FHC. Sua ex-amante, a jornalista Mírian Dutra, o acusa de ser dono de dois imóveis de altíssimo luxo, em Paris e Nova York, registrados em nome de um laranja, o pecuarista Jovelino Mineiro. Ela diz ainda que seu filho Tomás, que ela diz ser de FHC, se hospeda nesses endereços: na Avenida Foch, em Paris, ou na Trump Tower, em Nova York, com o consentimento daquele que seria o verdadeiro dono: FHC (leia mais aqui).

Tempo de colocar os pontos nos is: os dois imóveis atribuídos a FHC valem 50 vezes mais do que o que não pertence a Lula.

0 comentários:

Postar um comentário