Pesquisar este blog




UM PLANO DE REANIMAÇÃO NACIONAL

quarta-feira, 16 de março de 2016



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será responsável pela coordenação de um plano de reanimação nacional quando assumir o comando de um ministério no governo da presidente Dilma Rousseff, segundo informações do jornal Valor Econômico.

Com o plano, o governo pretende evitar o aprofundamento da recessão e a eliminação de mais empregos. De acordo com uma fonte, a adoção do plano não refletirá em uma “guinada à esquerda”, já que o governo continuará comprometido com as diretrizes fiscais estabelecidas por Nelson Barbosa, ministro da Fazenda. “Não se vai dar um cavalo de pau na economia”.

Além disso, o “Plano Lula” deve excluir a reforma da Previdência Social proposta por Barbosa. O governo chegou a anunciar que enviaria a proposta para o Congresso em abril, mas ela continuará sendo debatida no âmbito do Fórum da Previdência.


Também deve ser estabelecida uma ampliação de crédito para a construção civil, além da destinação de mais recursos ao programa Minha Casa Minha Vida e ao Programa de Aceleração do Crescimento. Será a utilização de mais verbas públicas para investimentos.

Segundo a publicação, Dilma não quer forçar o corte da taxa básica de juros e não está de acordo com Lula e o PT sobre o uso de reservas cambiais para promover o investimento. "Os juros cairão quando houver espaço para isso, dependendo da avaliação do BC (Banco Central)". 

Desafios para Barbosa

O ingresso de Lula no governo Dilma/ pode afetar o projeto de Barbosa, já que o ex-presidente é contrário à reforma da previdência defendida pelo ministro da Fazenda. Mesmo com as diferenças, o ministro deve permanecer à frente da Fazenda. Lula, porém, não esconde que gostaria de ter no comando do "plano de reanimação nacional" alguém com credibilidade no mercado. "Na cabeça do ex-presidente, o nome mais adequado para o cargo é o do Henrique Meirelles".

0 comentários:

Postar um comentário