Anastasia, o relator do impeachment no Senado

quarta-feira, 27 de abril de 2016



Antonio Anastasia, com essa cara de bebê Johnson, sonso que só ele, responde na Justiça Federal, integrando como parte uma ação civil pública, devido ao descumprimento da Emenda Constitucional 29/2000 que fixa a obrigatoriedade de aplicação do percentual mínimo de 12% do orçamento em ações e serviços de saúde pública, como atendimentos de urgência e emergência, investimentos em equipamentos e obras nas unidades de saúde, acesso a medicamentos e implantação de leitos.

De acordo com o MPF, entre 2003 e 2012, o governo estadual descumpriu sistematicamente preceitos legais e constitucionais, “em total e absurda indiferença ao Estado de Direito”, efetuando manobras contábeis para aparentar o cumprimento da EC 29.

Por dez anos “R$ 9.571.062.581,53 (nove bilhões, quinhentos e setenta e um milhões, sessenta e dois mil reais e cinquenta e três centavos) deixaram de ser aplicados no Sistema Único de Saúde (SUS) pelo Estado de Minas Gerais” , na época governado por Anastasia.

O resultado desse descaso, conforme asseverado no processo, revela-se com as "filas extenuantes, a falta de leitos nos hospitais, a demora que chega a semanas e até meses para que o cidadão se entreviste com um médico, a demora na marcação e na realização de exames clínico-laboratoriais, as mortes nas filas dos nosocômios, as doenças endêmicas que vez por outra castigam a população (como foi o caso recente da dengue), a falta de remédios a serem distribuídos à população, etc.".

Anastasia que hoje é relator do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Senado e que já tem voto antecipado, tal qual o seu partido golpista  o PSDB et caterva.

0 comentários:

Postar um comentário