Países latinos-americanos fazem manifestações contra o golpe institucional no Brasil

quinta-feira, 28 de abril de 2016


O vice-presidente brasileiro no Parlasul – o Parlamento do Mercosul, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), destacou nesta quarta-feira (27) a importância da ampla mobilização que tem ocorrido nos países latino-americanos contra o golpe institucional em curso no Brasil, para retirar do cargo a presidenta Dilma Rousseff sem que tenha cometido nenhum crime de responsabilidade.  



blogdoliberato.blogspot.com
Um dos atos de maior importância ocorrerá no próximo sábado (30), às 16 horas, em Buenos Aires, em frente à embaixada brasileira Um dos atos de maior importância ocorrerá no próximo sábado (30), às 16 horas, em Buenos Aires, em frente à embaixada brasileira 
         
“Consolida-se a percepção, nos países latino-americanos, de uma ruptura democrática no Brasil, com a tentativa de golpe”, afirmou, destacando que um dos atos de maior importância ocorrerá no próximo sábado (30), às 16 horas, em Buenos Aires, em frente à embaixada brasileira.

O ato foi convocado pelo ex-candidato presidencial argentino Nicolás del Caño, da Frente de Esquerda. Em entrevista à imprensa argentina, Del Caño afirmou que “o golpe institucional da direita no Brasil tem como único objetivo aprofundar o ajuste (econômico) contra os trabalhadores brasileiros, enquanto acontece o mesmo na Argentina, sob o governo conservador de Mauricio Macri”.

O ato em Buenos Aires, na véspera do Dia Internacional dos Trabalhadores, terá a participação de militantes de esquerda e de forças progressistas da Argentina, além de trabalhadores brasileiros. O ato será encerrado com discurso de Nicolás del Caño, que é do Partido dos Trabalhadores Socialistas. A deputada Myriam Bregman, do mesmo partido de del Caño, também participará do ato contra o golpe em curso no Brasil.

Antecedente gravíssimo

Myriam, em discurso no parlamento argentino, afirmou que é “um gravíssimo antecedente a possibilidade de a direita triunfar no Brasil”. Ela tem defendido a votação de uma moção de “repúdio ao golpe institucional e de solidariedade aos trabalhadores do Brasil”.

Na Argentina tem havido mobilizações contra o golpe no Brasil, promovidas por movimentos sociais e residentes brasileiros no país. Essas manifestações têm ocorrido também em outros países sul-americanos e do resto do mundo.

No último sábado (23), em Montevidéu, em um ato para homenagear operários assassinados em 1972, houve manifestação de solidariedade ao povo brasileiro e à sua luta pela democracia e contra o golpe. Uma enorme bandeira do Brasil, com a palavra de ordem “Vai ter luta”, cobria quase totalmente uma das paredes do ginásio de esportes onde se realizou o evento. Participaram do ato vários dirigentes sindicais e parlamentares do Uruguai, Argentina , Bolívia, Brasil, Paraguai e Venezuela. 

0 comentários:

Postar um comentário