Pesquisar este blog




O PERCEVEJO DE GABINETE

quarta-feira, 25 de maio de 2016




A queda do ministro do Planejamento, Romero Jucá, marcou o primeiro grande escândalo do governo do presidente interino Michel Temer, que ocupa o cargo há menos de duas semanas.


Aliados de Temer e setores da imprensa brasileira já haviam advertido que Jucá era uma bomba esperando para estourar. Mesmo antes da divulgação do grampo que provocou sua queda, a lista de problemas dele com a Justiça – incluindo seis inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF) – já era conhecida.


A saída de cena de Jucá, no entanto, não significa que o governo interino de  Temer tenha se livrado de todas as suas potenciais bombas. Confira abaixo outro personagem enrolado que ainda pode criar problemas para o presidente interino.



Geddel Vieira Lima


O ministro da Secretaria do Governo Interino, Geddel Vieira Lima, também apareceu em mensagens do celular de Léo Pinheiro. Ainda não há um inquérito específico contra o ministro, mas os investigadores suspeitam que ele pode ter usado sua influência para atuar em favor da OAS dentro da Caixa (onde ocupou a vice-presidência) e em outros órgãos. No início dos anos 2000, o ex-presidente Itamar Franco chamou Geddel de "percevejo de gabinete" – um político que busca se aliar com outras administrações para conseguir cargos.

0 comentários:

Postar um comentário