Enquanto isso... na Suiça

domingo, 5 de junho de 2016



Cerca de 78% dos eleitores suíços rejeitaram neste domingo (5) uma proposta que instituía uma renda básica mensal para todos os moradores do país, segundo projeções da emissora SRF. O plebiscito era para decidir se o Estado pagaria mensalmente mais de 2,2 mil euros (aproximadamente R$ 9 mil) para os cidadãos do país, independente de classe social e trabalho.

Já pensando em um futuro com mais automação e extinção de algumas profissões, a ideia era que todos tivessem renda, mesmo ficando em casa sem trabalhar. A renda básica substituiria outros benefícios do governo. Além do valor universal para adultos, menores de 18 anos receberiam 625 francos (R$ 2.270).

Para os opositores da ideia, a iniciativa custaria muito caro e acabaria enfraquecendo a economia. Já os defensores afirmavam que a dignidade humana e do serviço público cresceria. A Suíça passaria a ser a primeira sociedade a desfrutar da prosperidade gerada pelo "dividendo digital", para os apoiadores do projeto. A noção defendida por eles é de que a desassociação entre trabalho e renda será inevitável no futuro, pois cada vez mais a tecnologia está substituindo a atividade humana em países desenvolvidos. 

Na mesma pesquisa, 66% dos dos eleitores aprovaram uma reforça do direito de asilo e 61% a autorização do diagnóstico genético pré-implantacional (DGP), outras duas propostas que também passaram por referendo.

0 comentários:

Postar um comentário