VOTO RETADO DA BAIANA

quarta-feira, 15 de junho de 2016




Voto decisivo e ausente na última sessão do Conselho de Ética da Câmara Federal, a deputada baiana Tia Eron (PRB-BA), votou a favor do relatório que pede a cassação do deputado Eduardo Cunha, presidente afastado da Câmara.

Mas ela fez questão de se explicar antes da votação. O deputado Nelson Marchezan (PSDB-RS) chegou a questionar, ironicamente, se ele havia sido abduzida na semana passada.

"Hoje não me procuraram, nem sequer citaram meu nome porque entenderam que de fato não mandam nessa nega aqui", disse a deputada.

Eu estava [na semana passada] nesta Casa e a imprensa sabe disso. Estava assistindo no que o (filósofo) Platão chamou de mito da caverna, pela TV, para poder olhar nos olhos de cada um. Porque os olhos refletem muito mais do que a boca não tem coragem de dizer. (...) Por isso chamaram Tia Eron pra resolver o problema que os homens não conseguiram resolver.

Na hora do voto, Tia Eron citou Umberto Eco e Darcy Ribeiro para falar da "desconstrução do óbvio" e da necessidade de "ressignificar o conselho."

"Eu não posso aqui absolver o representado nesta tarde. Eu não posso. Eu voto sim", disse a deputada. Ela foi aplaudida após seu pronunciamento de baiana retada.

De acordo com ela, o presidente licenciado do PRB e ministro do Desenvolvimento, Marcos Pereira, “deu liberdade e paz para fazer esse julgamento”. “Ele chegou a ser ministro não por negociar cargos e barganhas. Vossas Excelências julgam por aquilo que são”, defendeu.

Tia Eron negou qualquer influência do que chamou de “política pontual Rio e São Paulo” de Marcelo Crivella e Celso Russomano, ambos do PRB e candidatos às prefeituras carioca e paulista, respectivamente. Ambos se declararam contra Cunha.
************************************************************************************ Todavia, há quem tenha postado nas redes sociais: " A deputada Tia Eronildes (já que ela é contra o uso do nome social) APENAS cumpriu minimamente com seu dever, ninguém tem que agradecer nada a ela. Vamos parar de puxar saco de político. Se olhar direitinho vai perceber que são "99% anjos, mas aquele 1% é vagabundo". Só que ao contrário".

Os 11 votos pela aprovação do relatório foram de Paulo Azi (DEM-BA), Tia Eron (PRB-BA), Wladimir Costa (SD-PA), Léo de Brito (PT-AC), Valmir Prascidelli (PT-SP), Zé Geraldo (PT-PA), Betinho Gomes (PSDB-PE), Júlio Delgado (PSB-MG), Nelson Marchezan Jr. (PSDB-RS), Sandro Alex (PSD-PR) e Marcos Rogério (DEM-RO).


Votaram com Cunha: Alberto Filho (PMDB-MA), André Fufuca (PP-MA), Mauro Lopes (PMDB-MG), Nelson Meurer (PMDB), Sergio Moraes (PTB-RS), João Carlos Bacelar (PR-BA), Laerte Bessa (DEM-DF), Washington Reis (PMDB-RJ) e Wellington Roberto (PMDB-PB).

0 comentários:

Postar um comentário