Pesquisar este blog




Deus-Moro aceita denuncia contra Lula e ex-presidente poderá se tornar inelegível

terça-feira, 20 de setembro de 2016



Sugere-se que, nos tribunais brasileiros, mande-se retirar as estátuas de Themis, sua balança e sua espada e as substituam por bonecos de Sérgio Moro, a encarnação da Justiça pátria.

Pouco importou que a generalidade dos juristas e até mesmo notórios adversários de Lula tenham dito e apontado a inconsistência da denúncia-xingatório apresentada por Deltan Dallagnol e seus rapazes na semana passada.

Não importa que mais da metade dela seja voltada para fatos pelos quais não se irá desaguar em uma acusação, servindo apenas para apresentar o ex-presidente como o “demônio da propinocracia” , o que contraria qualquer princípio jurídico, onde é elementar que se examinarão, na denúncia, fatos e suas provas.

Não importa que se baseie em suposições, sem um documento sequer que indique a propriedade de Lula sobre o apartamento.

Não importa que não haja nada indicando ou alguém declarando que a reforma do imóvel foi feita a seu pedido e que os depoimentos até indiquem o contrário.

Não importa que o processo original, movido por outro grupo de promotores ávidos por publicidade, que tentava inculpa-lo por eventuais vantagens em relação aos demais cooperativados tenha sido considerado imprestável para isso e devolvido à Justiça Paulista.

O negócio era levar Guarujá para Curitiba, onde Moro é Deus e não é preciso provas, basta a convicção – ou o ódio, como se prefira chamar – dá-se um jeito.
Lá, a poder de powerpoints, Lula agora é réu.
Lá, quem apostar um centavo em que um julgamento equilibrado possa absolvê-lo, com certeza, perderá um centavo, porque Moro jamais absolve, porque não há nele senso de justiça, mas um único julgamento: é culpado, publique-se, registre e imprima-se.

E, condenado, coelhos togados na segunda instância tremerão de medo em reverter o que o Deus-Moro decidir, porque não só odeiam, na maioria, o ex-presidente como, no caso de um resto de consciência lhes sobrar, o medo de serem apontados como “mutretados” o manterá soterrado.

E de lá, para Brasília, onde Suas Tremelências verificarão se foram colados os selos e estampilhas no processo, se o papel é formato A4 e se as páginas foram devidamente numeradas.
Sérgio Moro é a Justiça, agora. Sem venda, sem balança, mas com uma impiedosa espada.

Nós somos suas vítimas em potencial, porque ele pode tirar-nos a honra e a liberdade a partir do nada ou quase nada.

CARTAS MARCADAS

Mas a Justiça brasileira, esta já é sua vítima, transformada em lacaia de um juiz de província que, com o apoio da mídia e a covardia dos mais altos magistrados, virou mera carimbadora da injustiça, da perseguição e da infâmia.

Fernando Britto em Tijolaço

0 comentários:

Postar um comentário