SE SEGUREM QUE A BOMBA PODE ESTOURAR

quinta-feira, 20 de outubro de 2016



Primeiramente veio à luz a delação bombástica de Delcídio do Amaral.

Segundamente, está em gestação a delação premiada de Marcelo Odebrecht.

Mas nenhuma delas tem o poder de destruição da delação premiada de Eduardo Cunha.

Depois de afundar o governo Dilma, ele está com a faca e o queijo na mão para destruir o governo Temer.

Quando foi cassado, pôs a culpa em Temer.

É quem vai culpar agora pela prisão.

E quem pensa assim não tem o menor problema em contar algumas verdades sobre o presidente, alguns de seus ministros e do presidente do Senado que poderão livrá-lo de longos anos de pena numa penitenciária abominável.

O que deverá pesar na sua decisão de delatar é também a situação da mulher e da filha.

Agora sozinhas correm o risco de também embarcarem para Curitiba.

A delação de Cunha deverá ser duplamente impactante para ser trocada por sua liberdade (com tornozeleira) e a de sua mulher (idem).

Imagino a estupefação das autoridades mundo afora: "então esse é o presidente da Câmara que autorizou o início do impeachment da presidente Dilma, um notório corrupto"?

Não cabe o argumento de que ele foi secundário no processo porque não foi. Ele não só o detonou como organizou a maioria na Câmara que despachou Dilma.

Brasília está em polvorosa e não é para menos.

Como diria Hugo Carvana, "se segura, Temer"!

Alex Solnik

0 comentários:

Postar um comentário